Internacional

BCE deve encerrar juro negativo até setembro, diz Lagarde

BCE ainda ficará atrás de pares como o Federal Reserve, dos EUA, e o Banco da Inglaterra, que já estão apertando suas políticas monetárias

Taxa de juros deve ser elevada a partir de julho, saindo do território negativo em setembro
Por Alexander Weber
23 de Maio, 2022 | 12:44 pm

Bloomberg — O Banco Central Europeu deve começar a aumentar as taxas de juros em julho e sair do território negativo até o final de setembro, disse a presidente da instituição, Christine Lagarde.

PUBLICIDAD

“Espero que as compras líquidas sob o programa de compra de ativos terminem muito cedo no terceiro trimestre”, disse ela em um blog segunda-feira (23). “Isso nos permitiria uma elevação da taxa em nossa reunião em julho, em linha com nossas projeções. Com base na perspectiva atual, provavelmente estaremos em posição de sair das taxas de juros negativas até o final do terceiro trimestre.”

Com a inflação em quase quatro vezes a meta de 2% do BCE, o ímpeto do Conselho da autoridade monetária vem aumentando para elevar a taxa de depósito de seu nível atual de -0,5% em julho. O comentário de Lagarde sugere dois aumentos de 0,25 ponto percentual cada nas reuniões de julho e setembro.

PUBLICIDAD
  BCE não aumenta taxas há uma décadadfd

Embora o chefe do banco central holandês, Klaas Knot, tenha mencionado na semana passada a possibilidade de um aumento de meio ponto percentual se necessário, Lagarde disse repetidamente que a normalização da política monetária será gradual e reiterou isso novamente na segunda-feira.

“Isso significa que é sensato avançar passo a passo, observando os efeitos na economia e as perspectivas de inflação à medida que as taxas sobem”, disse.

PUBLICIDAD

O euro avançou em relação ao dólar após seus comentários.

A invasão da Ucrânia pela Rússia elevou os preços das commodities, aumentando a incerteza sobre as perspectivas e prejudicando a confiança entre empresas e famílias. Isso criou uma situação difícil para os formuladores de política monetária, pois quaisquer medidas para conter a inflação também ameaçam desacelerar ainda mais a atividade.

Aumentar a taxa em 0,5 ponto percentual até setembro ainda colocaria o BCE atrás de pares como o Federal Reserve e a Banco da Inglaterra, que aumentaram os custos do dinheiro este ano para conter a inflação crescente.

PUBLICIDAD

Isso também ajudou a enfraquecer o euro nos últimos meses, agravando o desafio para os dirigentes do BCE, porque isso torna as importações - uma das principais fontes da inflação atual - mais caras.

Lagarde, que disse que queria “esclarecer a trajetória de normalização da política monetária que está à nossa frente” com seu post de blog, observou que o BCE precisa manter suas opções em aberto devido à incerteza sobre o crescimento futuro dos preços.

PUBLICIDAD

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDAD

Ações nos EUA devem cair mais 10%, segundo gestores e traders

Petróleo sobe com mercado apertado do lado da oferta

Últimas BrasilBCEEuropaInflação
PUBLICIDAD