Mercados

Nasdaq desaba mais de 2% com disparada de rendimento de Treasuries

O rendimento dos Treasuries de 10 anos (GT10) subiu acima de 2,6%, levando-o de volta aos intervalos negociados em 2018 e 2019

Nasdaq desaba mais de 2% com disparada de rendimento de Treasuries
Por Isabelle Lee e Robert Brand
06 de Abril, 2022 | 01:08 PM

Bloomberg — O sell-off no mercado de títulos se aprofundou nesta quarta derrubando as ações, com os investidores se posicionando para uma campanha intensificada de aperto monetário pelo Federal Reserve para combater a inflação.

PUBLICIDAD

O rendimento dos Treasuries de 10 anos (GT10) subiu acima de 2,65%, levando-o de volta aos intervalos negociados em 2018 e 2019, antes de reduzir para 2,58%. Enquanto isso, o Nasdaq 100 (NDX) caiu mais de 2% e o S&P 500 recuou mais de 1%.

Operadores do mercado de renda fixa estão apostando no maior aperto do Fed em quase três décadas, depois que a governadora do Fed, Lael Brainard, disse que o banco central americano começaria a reduzir seus balanços rapidamente em maio.

PUBLICIDAD

“O Fed terá que apertar as condições financeiras o suficiente para aumentar a taxa de desemprego e quando o Fed fez isso no passado, sempre resultou em uma recessão”, disse William Dudley, ex-presidente do Federal Reserve de Nova York, à Bloomberg TV. “Essa não é a intenção deles. Eles vão fazer um pouso suave, mas as chances de ocorrer isso são muito, muito baixas.”

O índice Stoxx Europe 600 teve sua maior queda em um mês, com ações de tecnologia e automobilísticas liderando o declínio. O petróleo WTI ficou estável em cerca de US$ 102 o barril. E Twitter Inc. (TWTR), Microsoft Corp. (MSFT) e Apple Inc. (AAPL) estavam entre os piores desempenhos.

PUBLICIDAD

As perdas ocorreram no aguardo da ata da reunião do Fed, prevista para quarta-feira, que deve fornecer pistas sobre o ritmo dos aumentos das taxas de juros e do chamado aperto quantitativo, o processo de redução dos títulos do balanço patrimonial do banco central.

Os traders estão apostando que o Fed implementará 225 pontos-base de aumento de juros até o final do ano, somando-se aos 25 pontos-base já entregues em março. O banco central dos EUA não fez um aperto tão significativo desde 1994, ano considerado brutal para investidores de títulos que incluiu até um aumento de 75 pontos-base.

“O Fed será muito agressivo daqui para frente, mesmo que tenha um impacto negativo no crescimento econômico e no mercado de ações”, escreveu Matt Maley, estrategista-chefe de mercado da Miller Tabak + Co., em nota. “Se o Fed realmente sentir a necessidade de mudar de rumo antes de aumentar as taxas tantas vezes, o mercado de ações ficará muito mais baixo e o mercado de títulos também. Dito de outra forma, quando o Fed reagir, os mercados já terão sentido muita dor.”

PUBLICIDAD

O crescente isolamento da Rússia sobre a guerra na Ucrânia também pode atrapalhar ainda mais os fluxos de commodities, pressionando os preços. Novas sanções contra Moscou são esperadas. Enquanto isso, o Ministério das Finanças da Rússia disse que um pagamento de eurobonds foi enviado em rublos depois que bancos estrangeiros se recusaram a processar pagamentos de cupons, levantando o espectro de um default técnico.

“A crise da Ucrânia está longe de ser resolvida”, disse Amy Wu Silverman, estrategista de derivativos de ações da RBC Capital Markets LLC, à Bloomberg TV. “E então estamos indo para a temporada de resultados corporativos. Os níveis de volatilidade provavelmente estão muito baixos e começarão a aumentar.”

PUBLICIDAD

Principais eventos para acompanhar esta semana:

  • Ata do Federal Reserve, quarta-feira;
  • PMI composto e serviços da China Caixin, quarta-feira;
  • Relatório de estoque de petróleo bruto da EIA, quarta-feira;
  • O presidente do Fed da Filadélfia, Patrick Harker, fala, quarta-feira;
  • James Bullard, do Fed de St. Louis, Raphael Bostic, do Fed de Atlanta, Charles Evans, do Fed de Chicago, falam em eventos separados, quinta-feira;
  • Decisão da taxa do Reserve Bank of India, sexta-feira;

Alguns dos principais movimentos nos mercados:

PUBLICIDAD

Ações

  • O índice S&P 500 (SPX) tinha baixa de 1,1% às 12h05 em NY (13h05 em Brasília);
  • O Nasdaq 100 (NDX) caía 2,3%;
  • O índice Dow Jones Industrial Average (INDU) tinha baixa de 0,6%;
  • O MSCI World caía 1,3%;

Moedas

  • O Bloomberg Dollar Spot Index (DXY) operava estável;
  • O iene japonês (JPY) caia 0,7% para 123,59;
  • O euro (EUR) caiu 0,6% para US$ 1,0918;

Renda fixa

  • O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos subia quatro pontos básicos para 2,58%;
  • O rendimento de 10 anos da Alemanha subia três pontos base para 0,64%;
  • O rendimento de 10 anos do Reino Unido subia cinco pontos base para 1,70%;

Commodities

  • O petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) caía 2,8% para US$ 99,12 o barril;
  • O ouro subia 0,2% para US$ 1.930,60 onça.

(atualizado às 13h08 com cotações mais recentes)

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Últimas BrasilMercadosfuturos
PUBLICIDAD