Mercados

Apple deve aumentar dividendos e recompra bilionária de ações até US$ 90 bi

Dependendo dos resultados da empresa, a serem apresentados no final de abril, seus dividendos serão ampliados em 5% a 10%

Ações da empresa caíram apenas 6,7% este ano; índice Nasdaq 100 caiu 14% no mesmo período
Por Subrat Patnaik
12 de Abril, 2022 | 12:12 PM

Bloomberg — Durante anos, a Apple (AAPL) esteve na vanguarda das recompras multibilionárias de ações entre as megacaps de tecnologia. De acordo com Jim Suva, analista do Citigroup (C), a empresa pode estar prestes a ficar ainda mais à frente.

PUBLICIDAD

Em nota publicada na terça-feira (12), Suva estimou que a fabricante do iPhone pode anunciar uma recompra de US$ 80 bilhões a US$ 90 bilhões, além de aumentar seus dividendos em 5% a 10%. Todos os olhares estarão voltados para os resultados do segundo trimestre, que serão divulgados em 28 de abril.

Com seus cofres se enchendo rapidamente, empresas como Alphabet (GOOGL) e Microsoft (MSFT) buscam maneiras de utilizar o excesso de caixa. As recompras da Apple totalizaram US$ 274,5 bilhões, incluindo US$ 20,4 bilhões apenas no trimestre encerrado em dezembro. No entanto, a empresa ainda tem um caixa de mais de US$ 200 bilhões no balanço patrimonial e, com autorização para comprar até US$ 315 bilhões em ações, ela tem margem para fazer muito mais.

PUBLICIDAD
Big techs acumulam caixa e valores mobiliários negociáveisdfd

As ações da Apple se saíram melhor do que as de seus pares este ano, caindo 6,7%, ante a queda de 14% do índice Nasdaq 100 (NDX), de alta tecnologia. Isso apesar dos relatos de dificuldades de produção que, segundo Suva, “poderiam gerar uma retração de ações no curto prazo a qual usaríamos como uma oportunidade de compra”.

De acordo com o analista do Citi, o valor de mercado atual da empresa não reflete possíveis lançamentos de novas categorias de produtos, como headsets de realidade aumentada/realidade virtual e o Apple Car.

PUBLICIDAD

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Últimas BrasilMercadosApple
PUBLICIDAD