Mercados

Bolsas fecham em alta após Fed sinalizar aperto agressivo para conter inflação

After Hours: investidores avaliam que a decisão já estava precificada e que Jerome Powell demonstrou preocupação com o emprego também

After hours: mercados fecharam em alta impusionados pela decisão do Fed sobre os juros e as novas sinalizações
15 de Junho, 2022 | 05:35 PM

Bloomberg Línea — Seguindo o desempenho positivo em Wall Street, o Ibovespa (IBOV) encerrou o pregão desta quarta-feira (15) em alta, em um dia de ganhos para os ativos de risco depois que o Federal Reserve elevou os juros americanos em 0,75 ponto percentual, no maior aumento desde 1994.

PUBLICIDAD

O principal índice da bolsa brasileira encerrou o dia com ganho de 0,73%, aos 102.806,82 pontos. Nos Estados Unidos, o S&P 500 subiu 1,46%, e o Nasdaq, 2,50%.

Em discurso pós-decisão, o presidente da autoridade monetária, Jerome Powell, reforçou o cenário desafiador e de forte pressão inflacionária, sinalizando novos aumentos nas próximas reuniões. Para o fim de julho, data do próximo encontro, Powell disse estimar uma alta de 0,50 ou de 0,75 ponto percentual, a depender dos dados econômicos divulgados até lá.

PUBLICIDAD

A alta das ações, segundo analistas, se deve à avaliação de investidores de que a postura mais hawkish (rigorosa) do Fed já estava em boa medida precificada nos ativos e que Powell demonstrou preocupação em reduzir o avanço da inflação preservando um mercado de trabalho saudável.

“O Fed precisava provar mais uma vez que leva a sério o combate à inflação”, disse Barry Gilbert, estrategista de alocação de ativos da LPL Financial, à Bloomberg News. “A postura mais agressiva ainda pode ser consistente com um pouso suave para a economia, mas o caminho está ficando mais estreito.”

PUBLICIDAD

Os investidores no Brasil seguem agora atentos à reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), cuja decisão deverá ser divulgada a partir das 18h30 (horário de Brasília). A expectativa de analistas do mercado é a de um aumento de 0,50 ponto, mas apostas mais agressivas estão na mesa depois da decisão do FOMC, o Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed, que toma a decisão nos EUA.

Na Bolsa brasileira, os maiores ganhos vieram dos papéis de Qualicorp (QUAL3), que subiram 14,64%, seguidos pelos de CVC Brasil (CVCB3), com alta de 13,19%. No lado oposto, das baixas, Braskem (BRKM5) e CSN Mineração (CMIN3) tiveram queda de 2,27% e 1,46%, respectivamente, em uma sessão de baixa para o minério de ferro.

Confira como fecharam os mercados nesta quarta-feira (15):

PUBLICIDAD

Leia também:

Ainda é cedo para buscar pechinchas na bolsa, alerta gestor da Janus Henderson

Últimas BrasilIbovespaJurosDólarBloomberg LíneaAçõesJerome Powell
Mariana d'Ávila

Mariana d'Ávila

Redatora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero, especializada em investimentos e finanças pessoais e com passagem pela redação do InfoMoney.

PUBLICIDAD