Mercados

Ibovespa tem nova sessão de queda pressionado por Vale e siderúrgicas

After Hours: Mercados repercutiram falas do presidente do Fed e do presidente do BC brasileiro, Campos Neto, com temores sobre recessão

Ibovespa fecha mais uma sessão abaixo do patamar dos 100 mil pontos
23 de Junho, 2022 | 05:47 pm

Bloomberg Línea — Na contramão de Wall Street, o Ibovespa (IBOV) fechou o pregão desta quinta-feira (23) em queda de 1,45%, aos 98.080 pontos – o quinto pregão consecutivo abaixo dos 100 mil pontos –, puxado pela baixa das ações de commodities, apesar da alta do minério de ferro.

PUBLICIDAD

As blue chips Vale (VALE3) e Petrobras (PETR3; PETR4), por exemplo, recuaram 3,65%, 2,12% (ON) e 1,85% (PN), enquanto Petrorio (PRIO3) caiu 3,76% e Gerdau (GGBR4), 2,84%. As preocupações recaem sobre uma queda da demanda na China e cenário de inflação elevada.

Durante coletiva online nesta quinta, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse que está buscando uma inflação abaixo de 4% no próximo ano como parte de esforços para aproximá-la da meta de 3,25%.

PUBLICIDAD

O risco fiscal também permanece no radar, com discussões sobre o aumento do Auxílio Brasil para R$ 600 e voucher-caminhoneiro de R$ 1 mil, conforme se aproxima a eleição presidencial.

Na Bolsa, as maiores altas do dia vieram das ações de Locaweb (LWSA3), com ganhos de 9,01%, a R$ 6,05, e de BRF (BRFS3), que subiu 7,80%, a R$ 14,09.

PUBLICIDAD

Confira como fecharam os mercados nesta quinta-feira (23):

Powell e a inflação

No exterior, os investidores acompanharam hoje novas falas do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, desta vez na Câmara dos Representantes do Congresso americano.

Após uma das declarações mais contundentes até aqui sobre os riscos de contração da economia dos Estados Unidos, Powell voltou a falar com congressistas americanos sobre o aumento dos juros no país. Durante a resposta às colocações da senadora republicana Ann Wagner, Powell declarou que, “com o benefício da retrospectiva”, o Fed subestimou o avanço da inflação no final da pandemia.

PUBLICIDAD

Ele também disse que a luta contra a inflação é “incondicional” e que é “significativamente mais desafiador” reduzir a inflação sem impactar o mercado de trabalho.

O discurso segue o tom apresentado ontem, no Senado, quando Powell admitiu pela primeira vez de forma aberta a possibilidade de uma recessão, mesmo que de forma tímida. Segundo o dirigente, um “pouso suave” (soft landing) da economia frente à alta dos juros americanos será muito difícil de alcançar dado o ambiente que se configurou para a economia global nos últimos meses.

PUBLICIDAD

Leia também:

Seca de IPOs brasileiros traz 1º semestre mais fraco desde 2016

Últimas BrasilIbovespaJurosDólarBloomberg LíneaAções
Mariana d'Ávila

Mariana d'Ávila

Redatora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero, especializada em investimentos e finanças pessoais e com passagem pela redação do InfoMoney.

PUBLICIDAD