Negócios

Musk diz que demissões devem atingir somente funcionários diretos

CEO da Tesla disse que “isso não se aplica àqueles envolvidos na montagem de carros, baterias ou instalação de energia solar”

Últimas falas de Musk atraíram certo desprezo do presidente Joe Biden, que desejou sorte com suas "aventuras no espaço"
Por Bloomberg News y Richard Clough
03 de Junho, 2022 | 05:19 PM

Bloomberg — Elon Musk disse aos funcionários da Tesla (TSLA) que os planos de cortar 10% das posições da companhia só se aplicariam a trabalhadores contratados diretamente pela companhia, segundo o portal de notícias Electrek, esclarecendo um relato anterior de que ele demitiria parte de sua equipe, mas sem mais detalhes.

PUBLICIDAD

Musk disse em um e-mail interno que o número de funcionários seria reduzido já que a Tesla “ficou com excesso de funcionários em muitas áreas”, de acordo com informações do site de notícias focado em automóveis.

O CEO da Tesla disse na mesma nota que “isso não se aplica àqueles envolvidos na montagem de carros, baterias ou instalação de energia solar”, segundo a Electrek. A nota também afirma que empregos temporários também devem aumentar.

PUBLICIDAD

Os comentários vieram horas depois que a Reuters informou que Musk disse aos executivos da empresa que reduziria a equipe da Tesla porque tinha um “sentimento muito ruim” sobre a economia.

A Tesla disse em seu relatório anual que 39% dos cerca de 100 mil trabalhadores da empresa eram “funcionários da linha de produção”.

PUBLICIDAD

Embora ainda não esteja claro se o número total de funcionários será reduzido, o comentário pessimista marca uma clara mudança de tom do CEO da fabricante de carros elétricos. A Tesla abriu recentemente duas fábricas de montagem de veículos e registrou um volume recorde de vendas globais em seu trimestre mais recente, com Musk prevendo um crescimento “muito maior” até o final deste ano.

As últimas falas de Musk atraíram certo desprezo do presidente americano Joe Biden, que rejeitou as advertências do bilionário sobre a economia e desejou sorte com suas aventuras no espaço. Wall Street também foi pega de surpresa. O analista do Credit Suisse, Dan Levy, chamou os comentários de “uma surpresa para nós, dado o caminho de crescimento significativo” da Tesla.

Mas as restrições relacionadas ao coronavírus na China reduziram a produção na fábrica da empresa em Xangai, o que levantou dúvidas em analistas sobre se a Tesla pode atingir sua meta de crescimento anual de 50% em suas entregas. A Cowen cortou nesta sexta-feira (3) sua estimativa para as entregas globais da montadora para 1,28 milhão, abaixo da estimativa anterior de 1,35 milhão.

PUBLICIDAD

A notícia se soma a um período tumultuado para Tesla e para Musk, com as ações da montadora caindo desde que o executivo fechou um acordo para adquirir o Twitter (TWTR). Mas, em geral, a Tesla resistiu melhor do que a maioria à escassez de fornecimento mundial de componentes.

Musk também se juntou ao debate acalorado sobre o retorno ao trabalho presencial nesta semana, pedindo aos funcionários da Tesla que retornem imediatamente ou encontrem trabalho em outro lugar.

PUBLICIDAD

“Quanto mais sênior você é, mais visível deve ser sua presença”, escreveu Musk, acrescentando que os funcionários “devem passar um mínimo de 40 horas no escritório por semana”.

-- Com assistência de Catarina Nicolau.

PUBLICIDAD

– Esta notícia foi traduzida por Melina Flynn, Content Producer da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDAD

Leia também

CEO do Citigroup diz que não será fácil evitar uma recessão nos EUA

Últimas BrasilElon MuskTesla
PUBLICIDAD