Mercados

Ações da Petrobras voltam a ser negociadas e agora sobem após renúncia de CEO

José Mauro Ferreira Coelho renunciou diante das pressões com o novo aumento dos preços dos combustíveis; Ibovespa opera em queda

Ibovespa cede em dia de queda para commodities
20 de Junho, 2022 | 11:03 AM

Bloomberg Línea — O Ibovespa (IBOV) recuava na manhã desta segunda-feira (20), em dia de menor liquidez nos mercados por conta do feriado de Emancipação dos Escravos nos Estados Unidos e em meio à renúncia do presidente da Petrobras. Na Europa, o dia era de ganhos no mercado acionário.

PUBLICIDAD

José Mauro Ferreira Coelho renunciou ao cargo diante das pressões crescentes do governo e de líderes do Congresso para que deixasse a empresa por causa do aumento dos preços dos combustíveis.

A saída de Ferreira Coelho pode acelerar a tramitação da estatal para a aprovação do próximo CEO da estatal, Caio Paes de Andrade, indicado pelo governo no final de maio.

PUBLICIDAD

As ações da Petrobras (PETR3; PETR4) foram suspensas após o anúncio e voltaram a negociar em queda da ordem de 2% por volta das 11h (horário de Brasília). Mas, perto das 12h30, subiam 0,90%.

Cenário no exterior

A sessão é de queda para o minério de ferro, que despencou 8% em Singapura e apagou os ganhos deste ano após siderúrgicas paralisarem seus altos-fornos em meio ao crescente pessimismo sobre as perspectivas de demanda na China.

PUBLICIDAD

O ingrediente siderúrgico já perdeu cerca de um quinto de seu valor desde o pico de março em uma série de declínios que se estendeu pelo oitavo dia. Os preços chineses de carvão metalúrgico, usado para fabricar aço, caíram até 12% para o menor nível desde o final de fevereiro.

O movimento contribuía para a queda das ações de mineradoras e siderúrgicas, como Vale (VALE3), que recuava pouco mais de 2,5% por volta das 11h (horário de Brasília), e Usiminas (USIM5), com baixa de 1%.

Confira o desempenho dos mercados nesta segunda-feira (20):

PUBLICIDAD
  • Por volta das 11h (horário de Brasília), o Ibovespa cedia 0,82%, aos 99.002 pontos;
  • O dólar à vista subia 0,48%, a R$ 5,18;
  • Entre os contratos de juros futuros, o DI para 2025 operava estável, a 12,53%;
  • Nos EUA, os índices futuros subiam: o do Dow Jones tinha alta de 0,47%, o do S&P 500 0,66%, enquanto o da Nasdaq 0,60%;
  • Na Europa, o movimento também era de ganhos: o índice FTSE, do Reino Unido, por exemplo, subia 1,48%.

-- Com informações da Bloomberg News

Leia também:

Mercado cripto perde até veteranos em vendas de ‘pânico’

Últimas BrasilBloomberg LíneaAçõesIbovespaJurosDólar
Mariana d'Ávila

Mariana d'Ávila

Redatora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero, especializada em investimentos e finanças pessoais e com passagem pela redação do InfoMoney.

PUBLICIDAD