Negócios

PayPal demite funcionários em nova ação para reduzir custos

Quadro de funcionários havia crescido nos últimos dois anos; empresa encerrou 2021 com 30,9 mil colaboradores, alta de 33% ante o pré-pandemia

Empresa busca aumentar lucros depois que o crescimento dos gastos em sua plataforma estagnou nos últimos trimestres
Por Jenny Surane
26 de Maio, 2022 | 04:17 PM

Bloomberg — A PayPal (PYPL) começou a demitir funcionários que trabalhavam em gerenciamento de risco e operações nesta semana, enquanto a empresa busca aumentar os lucros depois que o crescimento dos gastos em sua plataforma estagnou nos últimos trimestres.

PUBLICIDAD

A empresa demitiu dezenas de funcionários que trabalhavam em Chicago, Omaha, Nebraska e Chandler, Arizona, de acordo com pessoas a par do assunto, que pediram para não serem identificadas discutindo informações privadas. O PayPal também anunciou neste mês planos de demitir permanentemente mais de 80 pessoas em sua sede em San Jose, Califórnia, de acordo com registros nesse estado.

“O PayPal está constantemente avaliando como trabalhamos para garantir que estamos preparados para atender às necessidades de nossos clientes e operar com a melhor estrutura e processos para apoiar nossas prioridades estratégicas de negócios à medida que continuamos a crescer e evoluir”, disse o PayPal em comunicado.

PUBLICIDAD

Os gastos nas plataformas do PayPal aumentaram apenas 15% no primeiro trimestre, para US$ 323 bilhões, o menor aumento em pelo menos cinco anos, quando as interrupções na cadeia de suprimentos prejudicaram as compras no comércio eletrônico e mais consumidores voltaram às compras nas lojas à medida que a pandemia diminuía.

A ex-controladora da empresa, EBay (EBAY), também está afastando rapidamente os pagamentos da plataforma do PayPal.

PUBLICIDAD

O número de funcionários do PayPal aumentou nos últimos anos e a empresa encerrou o ano passado com 30.900 funcionários, um aumento de 33% em relação aos níveis pré-pandemia.

A empresa disse no mês passado que estava trabalhando para melhorar a alavancagem operacional – ou a capacidade de aumentar a receita mais rapidamente do que as despesas. O CEO Dan Schulman disse que a empresa começou a simplificar seu modelo operacional antes da pandemia, mas a explosão de volumes em sua plataforma nos primeiros dias do surto forçou a empresa a suspender esse trabalho.

“Agora estamos voltando a este trabalho com foco, energia e propósito renovados”, prometeu Schulman na época.

PUBLICIDAD

O PayPal alertou em um documento regulatório que incorreu em US$ 20 milhões em custos vinculados à sua reestruturação nos primeiros três meses do ano depois de iniciar uma “redução estratégica da força de trabalho global existente”. A maioria dos custos estava ligada a indenizações e outros benefícios aos funcionários, disse o PayPal.

A empresa agora espera incorrer em mais US$ 100 milhões em custos de reestruturação este ano, embora os cortes de empregos ajudem a empresa a economizar cerca de US$ 260 milhões por ano em custos relacionados a funcionários, disse o PayPal.

PUBLICIDAD

“Continuamos analisando nossas necessidades de instalações devido aos nossos novos modelos de trabalho”, disse o PayPal no documento. “Espera-se que as ações estratégicas e pagamentos em dinheiro associados a este plano sejam substancialmente concluídos até o quarto trimestre de 2022.”

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDAD

Leia também:

Anitta é a mais nova sócia de startup brasileira avaliada em R$ 2,2 bilhões

Nubank estreia na bolsa colombiana apesar de virada do mercado para techs

Últimas BrasilPaypalCarreirapagamentos
PUBLICIDAD