PUBLICIDAD
PUBLICIDAD
Mercados

China: Rendimento real atrai fundos preocupados com inflação

Enquanto inflação se tornou um problema nos EUA, país asiático segue atrativo para investidores

Títulos chineses ainda são fonte de diversificação por representar uma proteção contra volatilidade
Por Tania Chen
12 de Abril, 2022 | 07:37 pm

Bloomberg — O prêmio menor no rendimento de títulos chineses sobre os Treasuries americanos não detém alguns investidores estrangeiros. Eles persistem porque os papéis ainda oferecem retornos ajustados à inflação mais altos do que a dívida dos Estados Unidos.

PUBLICIDAD

Os rendimentos chineses de 10 anos ajustados pelo núcleo da inflação oferecem um prêmio de mais de 2 pontos percentuais sobre os equivalentes dos EUA no mesmo prazo, segundo cálculos da Bloomberg, sendo esse o spread real mais alto desde maio de 2020.

A alta inflação erodiu os rendimentos reais dos EUA enquanto as pressões de preços na China permanecem relativamente benignas.

PUBLICIDAD
Diferença de yields entre títulos de referência da China e dos EUA permanece positivadfd

A vantagem real do rendimento provavelmente manterá os fundos globais investidos em títulos chineses, mesmo que, em valores nominais, o prêmio contra os Treasuries tenha desaparecido na segunda-feira (11) pela primeira vez em mais de uma década.

Investidores estrangeiros venderam quase 90 bilhões de yuans (US$ 14 bilhões) de dívida chinesa nos últimos dois meses, o que gerou dúvidas sobre a força do yuan.

PUBLICIDAD

As taxas reais positivas da China continuam atraentes para os investidores, apesar de um diferencial de rendimento muito reduzido com os EUA”, disse Joevin Teo, chefe de investimentos da Amundi Singapore. A inflação não é uma ameaça na China, disse ele.

Afrouxamento da China

Espera-se amplamente que o Banco Popular da China corte juros nesta semana para apoiar uma economia atingida por lockdowns e um setor imobiliário em desaceleração. Isso mesmo depois que os dados de segunda-feira mostraram que os preços ao consumidor aceleraram para 1,5% no mês passado, contra cerca de 0,9% nos dois meses anteriores.

Enquanto as medidas de flexibilização monetária da China levaram seus títulos ao topo dos rankings de desempenho global no ano passado, as apostas no aperto agressivo do Federal Reserve elevaram os rendimentos do Tesouro e minaram o prêmio de rendimento histórico.

PUBLICIDAD

No entanto, os títulos chineses ainda são uma fonte de diversificação, pois oferecem proteção contra a volatilidade no espaço de crédito corporativo e a atual crise geopolítica, disse Teo.

Os fundos globais detinham 10,8% dos títulos soberanos chineses no mês passado, de acordo com dados da Chinabond, em comparação com cerca de 17% da dívida indonésia.

PUBLICIDAD

O rendimento de 10 anos da China caiu cerca 0,01 ponto percentual até agora este mês, contra um aumento de quase 0,50 ponto percentual nos rendimentos do Tesouro no mesmo prazo.

“O impacto do aumento de casos de covid em Xangai, a fraca propensão a empréstimos na economia em geral e a fraqueza prolongada no mercado imobiliário significam que definitivamente há potencial de ganhos de capital ao assumir risco de longo prazo na China”, disse Edmund Goh, chefe de renda fixa da China na abrdn Plc, com sede em Xangai.

PUBLICIDAD

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Últimas BrasilMercadosChinaEUA