Internacional

Colômbia elege Gustavo Petro, líder de esquerda, como novo presidente

Ex-prefeito de Bogotá venceu neste domingo em segundo turno o empresário Rodolfo Hernández; ele tomará posse em agosto

Gustavo Petro será o próximo presidente da Colômbia e vai suceder Iván Duque Márquez
Por Daniel Guerrero
19 de Junho, 2022 | 07:44 PM

Bloomberg Línea — O líder de esquerda e ex-prefeito de Bogotá Gustavo Petro será o novo presidente da Colômbia, depois de vencer o segundo turno neste domingo (19) contra Rodolfo Hernández. Será a primeira vez que um político de esquerda governará o país e ele sucederá Iván Duque, para quem havia perdido quatro anos atrás também em um segundo turno. Petro tomará posse em agosto.

PUBLICIDAD

Petro, 62 anos, líder do partido de esquerda Colombia Humana, chegará ao poder em uma país com forte recuperação econômica após os estragos causados pela pandemia, mas que se ressente ainda do aumento da pobreza e da desigualdade e da falta de oportunidades para boa parte da população.

O PIB colombiano cresceu 10,6% em 2021, a maior variação em mais de um século, impulsionada pelo consumo. Neste ano, a expansão deve desacelerar para um ritmo ainda vigoroso de 6,1%, segundo projeção da OCDE.

PUBLICIDAD

Petro concorreu à presidência pelo Pacto Histórico, que é uma coalizão política formada por diferentes movimentos que se autodenominam progressistas e social-democratas.

Com 98,86% das mesas de voto apuradas, Petro tinha 11.185.671 votos (a maior votação da história do país), o equivalente a 50,49% do total.

PUBLICIDAD

Por sua vez, o engenheiro e empresário Rodolfo Hernández, apontado como um candidato mais alinhado ao mercado financeiro e do setor privado, tinha 10.468.781 votos, ou 47,25% do total. Hernández reconheceu a vitória de Petro.

Da criação de uma frente anti-petróleo à reforma do Banco da República - o banco central do país - para dar voz às “organizações produtivas” e à cobrança de impostos sobre latifúndios em terras férteis que não produzem, as propostas de Petro, um político e ex-guerrilheiro na juventude, causaram reações antes das eleições: seja naqueles que apoiam seu projeto ou nos que o veem como uma ameaça.

“Hoje é um dia de festa para o povo. Que festeje a primeira vitória popular. Que tantos sofrimentos sejam amortecidos pela alegria que hoje inunda o coração da Pátria”, destacou o presidente eleito no Twitter.

PUBLICIDAD

“Esta vitória para Deus e para o Povo e sua história. Hoje é o dia das ruas e das praças.”

Antes da forte expansão, a economia colombiana registrou uma queda de 6,8% em 2020, ano marcado pelo fechamento de lojas e o confinamento de cidadãos devido à pandemia, que também causou desemprego.

PUBLICIDAD

A crise econômica e o anúncio de uma polêmica reforma tributária na Colômbia levaram o país a uma greve nacional que começou em abril de 2021 e durou vários meses, com manifestações esporádicas contra o governo colombiano.

Petro é economista pela Universidade Externado da Colômbia, com estudos em Administração Pública, bem como em Meio Ambiente e Desenvolvimento Populacional.

PUBLICIDAD

Foi prefeito de Bogotá entre 2012 e 2014 também tem doutorado em Novas Tendências em Administração de Empresas na Universidade de Salamanca (Espanha).

Em sua juventude, Petro foi membro da guerrilha colombiana M-19, que ficou ativa entre 1974 e 1990. Mais tarde, um acordo de paz com o governo colombiano levou à Aliança Democrática M-19, que participou da redação da Constituição de 1991.

PUBLICIDAD

- Com a Bloomberg Línea Brasil.

Leia também:

PUBLICIDAD

Como a inflação se tornou o maior adversário eleitoral de Bolsonaro

Gabriel Boric assume a presidência do Chile com promessa de mudanças

Últimas BrasilColombia
Daniel Guerrero

Daniel Guerrero

Periodista y máster en comunicación política y estratégica. Especializado en periodismo económico. Anteriormente coordinador editorial de la agencia de noticias Primera Página y ex periodista macro en el diario Portafolio.

PUBLICIDAD