PUBLICIDAD
PUBLICIDAD
Tech

Covid: Restrições forçam fábricas de iPhone na China a interrompem produção

As consequências das paralisações impostas pela política de “covid zero” da China começam a afetar as cadeias de produção de fábricas em todo o país

Un iPhone 13 pro, de Apple.
Por Debbie Wu
12 de Abril, 2022 | 06:44 pm

Bloomberg — A Pegatron Corp. suspendeu a produção de iPhones em suas fábricas chinesas de Xangai e Kunshan, seguindo as políticas nacionais para controlar o pior surto de coronavírus em dois anos, afetando diretamente as cadeias de suprimentos globais.

PUBLICIDAD

A retomada da produção vai depender de autorizações do governo, disse a Pegatron em um documento de divulgado nesta terça-feira (12). Por enquanto, a empresa continua avaliando o impacto das suspensões em suas finanças.

A Pegatron, que é uma empresa do Taiwan, conseguiu manter a produção em alta até o momento em que os governos locais permitiram que alguns fabricantes mantivessem suas operações com um sistema de circuito fechado que reduz as chances de os trabalhadores serem infectados.

PUBLICIDAD

A empresa divide os pedidos de montagem do iPhone na China com o maior rival taiwanês Foxconn Technology Group e o chinês Luxshare Precision Industry Co. A Foxconn suspendeu alguns trabalhos de montagem do iPhone em Shenzhen por alguns dias em março, também por conta da covid.

Xangai disse na segunda-feira (11) que estava afrouxando parcialmente o bloqueio em toda a cidade, mas a maioria de seus moradores ainda está sujeito a fortes restrições de movimento, e o chefe do partido comunista local, Li Qiang, prometeu dar continuidade às restrições para controlar o surto. O bloqueio de semanas desencadeou uma escassez de alimentos e ameaçou lançar cadeias de suprimentos já fragilizadas em mais turbulência.

PUBLICIDAD

O governo local de Kunshan disse que seguirá as políticas existentes de prevenção da covid-19, apesar do declínio no número de casos, pedindo aos moradores que “façam menos barulho” e cumpram integralmente as medidas. Autoridades locais relataram três casos positivos de coronavírus nas instalações da Pegatron em Kunshan nos últimos quatro dias.

Os amplos bloqueios chineses estão cobrando um preço ainda desconhecido à segunda economia do mundo, onde a maioria dos eletrônicos, de iPhones a laptops e PCs do mundo são fabricados.

Embora muitas das fábricas mais importantes localizadas em cidades como Xangai tenham conseguido permanecer operando, o agravamento dos congestionamentos logísticos já restringe as remessas de componentes, drenando os estoques das maiores fabricantes de iPhone da China.

PUBLICIDAD

– Esta notícia foi traduzida por Melina Flynn, content producer da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDAD

Leia também

Apple Watch com recurso de pressão arterial pode ficar para 2025

Roubo de celular: Mercado de seguros cresce em São Paulo com alta de delitos

Últimas BrasiliPhoneChina