EUA têm aumento inesperado de vagas de emprego para 11,5 milhões

Mercado de trabalho americano continua apertado, intensificando ainda mais a pressão pelo aumento de salários

Em março, havia 1,9 vaga de emprego aberta para cada cidadão desempregado nos EUA
Por Olivia Rockeman
03 de mayo, 2022 | 05:33 PM

Bloomberg — Os empregadores nos Estados Unidos registraram níveis recordes de vagas de emprego e demissões de trabalhadores em março, apontando para uma intensificação do aperto no mercado de trabalho que continuará pressionando a alta os salários em ritmo acelerado.

PUBLICIDAD

O número de empregos disponíveis subiu de 11,3 milhões em fevereiro para 11,5 milhões em março, mostrou a Pesquisa de Vaga de Emprego e Rotatividade do Departamento do Trabalho (JOLTS, na sigla em inglês) nesta terça-feira (3). A estimativa média em uma pesquisa da Bloomberg com economistas foi de 11,2 milhões de vagas.

Evolução de vagas abertas e demissões voluntárias nos EUAdfd

Enquanto isso, uma alta de 4,5 milhões de americanos deixaram seus empregos em março, em dados que remontam ao ano 2000. A taxa de demissão que mede o abandono voluntário do trabalho como porcentagem do emprego total subiu ligeiramente para 3%.

PUBLICIDAD

Os números de vagas sugerem que as necessidades dos empregadores de contratar trabalhadores continuaram sólidas em março, à medida que os empregadores aumentaram sua equipe para atender à forte demanda do consumidor por bens e serviços. As empresas também continuam com dificuldades para contratar trabalhadores qualificados, o que elevou os salários e gerou aumento de vagas de emprego.

Havia 1,9 empregos para cada trabalhador desempregado em março, em relação à leitura de fevereiro. O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, citou esse número como um sinal do quanto o mercado de trabalho dos EUA está apertado. Combinado com o aumento da inflação, os dados reforçam as expectativas de que o banco central será mais agressivo com o aperto da política monetária nas próximas reuniões a partir desta quarta-feira (4).

PUBLICIDAD

Os dados foram divulgados antes do relatório mensal de empregos do Departamento do Trabalho, a ser divulgado nesta sexta-feira (6), que deve mostrar que os EUA criaram 390 mil empregos em abril.

Aumento nas vagas

O aumento das vagas de emprego foi impulsionado pelo comércio varejista e pela fabricação de bens duráveis. Isso ecoa os dados divulgados na segunda-feira (2) pelo Institute for Supply Management (ISM) que revelaram que os fabricantes ainda estão com dificuldades para resolver problemas de escassez de mão de obra.

As vagas diminuíram nos setores de transporte, armazenamento e serviços públicos, educação do governo estadual e local e serviços de hospedagem e alimentação.

PUBLICIDAD

As demissões aumentaram nos serviços profissionais e empresariais e na construção civil, mostraram os dados da JOLTS.

Embora a equipe tenha melhorado para algumas empresas, muitas continuam com problemas em suas videochamadas de resultados. A Domino’s observou na semana passada que a soma de todas as horas de operação perdidas no primeiro trimestre decorrem cumulativamente da inexistência de atividades em unidades fechadas por quase seis dias.

PUBLICIDAD

As contratações registraram pouca variação, ficando em 6,7 milhões em março. Divididos por indústria, as contratações aumentaram nos setores de entretenimento e hospitalidade.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

PUBLICIDAD

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDAD

Pessimistas dizem que S&P 500 ainda pode cair 700 pontos

Mercado cresce, mas alugar carro no Brasil está mais caro

Últimas BrasilEUAEmprego
PUBLICIDAD