Goldman Sachs ganha US$ 300 milhões com inflação no 1º tri

Aumento nos preços ao consumidor gerou crise global de custo de vida, mas se transformou em uma mina de ouro para alguns operadores

Imagen de la sede central de Goldman Sachs en Nueva York
Por Donal Griffin
08 de Abril, 2022 | 11:13 AM

Bloomberg — Operadores do Goldman Sachs (GS) já faturaram centenas de milhões de dólares com a inflação este ano, na medida em que o gigante de Wall Street se beneficia da disparada de preços ao consumidor na Europa que se intensificou com a guerra.

PUBLICIDAD

O banco gerou cerca de US$ 300 milhões no primeiro trimestre negociando títulos e derivativos vinculados à inflação, cerca do dobro gerado no mesmo período do ano passado, segundo uma pessoa a par do assunto. Os traders do banco ganharam muito dinheiro com transações baseadas em euros, um mercado que já subia e saltou para níveis sem precedentes desde a invasão da Ucrânia pela Rússia, disse a pessoa.

  dfd

O aumento pós-lockdown nos preços ao consumidor desde o ano passado pode ter gerado uma crise global de custo de vida, mas se transformou em uma mina de ouro para operadores que se concentram na inflação.

PUBLICIDAD

O Goldman Sachs faturou cerca de US$ 450 milhões com esses negócios em 2021, o dobro do que o banco faturou nos anos anteriores, a Bloomberg informou em fevereiro.

Sebastian Howell, porta-voz do Goldman Sachs em Londres, não quis comentar.

PUBLICIDAD

A inflação na zona do euro em março ultrapassou as previsões anteriores dos analistas, chegando a 7,5%, a taxa anual mais alta na história da moeda única.

Famílias e empresas em todo a União Europeia foram atingidas por aumentos nos custos de energia, já que a invasão russa mexe com o suprimento do continente de óleo e gás, agravando uma crise no custo das commodities que se instalou no ano passado.

O aumento dos preços forçou os governos de todo o bloco a gastar bilhões de dólares em programas de ajuda. O Banco Central Europeu pode aumentar as taxas de juros para lidar com a inflação que agora é mais de três vezes sua meta de 2%.

PUBLICIDAD

Na França, Marine Le Pen abordou o tema em sua campanha para destituir o presidente Emmanuel Macron nas eleições que começam neste domingo.

Os investidores correram para proteger suas carteiras e especular sobre ganhos de curto prazo. O custo de opções que pagam se a inflação subir acima de 2% - vista no mercado como uma forma de seguro - subiram para níveis nunca vistos.

PUBLICIDAD
  dfd

Para o Goldman Sachs, a volatilidade geopolítica significou mais lucro. Nikhil Choraria, que ajuda a supervisionar a negociação de ativos ligados à inflação em Londres, ganhou ao prever o aumento dos preços no continente.

A Choraria se concentrou em derivativos vinculados à inflação de curto prazo ou “front-end”, disse a pessoa. Este mercado tornou-se cada vez mais volátil durante o primeiro trimestre, à medida que os tanques russos entraram na Ucrânia, de acordo com Michael Riddell, que administra cerca de US$ 8 bilhões na Allianz Global Investors. Esse tipo de incerteza pode render muito dinheiro aos operadores, disse ele.

PUBLICIDAD

“Não é incomum que as mesas de operações bancárias ganhem dinheiro quando você tem grandes eventos de volatilidade, embora alguns também possam perder dinheiro se forem pegos do lado errado”, disse Riddell.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Últimas BrasilGoldman SachsInflação
PUBLICIDAD