Mercados

Ibovespa cai após surpresa negativa no IPCA de março

Resultado do IPCA de março foi o maior para o mês desde 1994; no ano, o indicador acumula alta de 3,20% e, em 12 meses de 11,30%

O resultado do IPCA de março foi puxado pela alta dos combustíveis e dos alimentos.
08 de Abril, 2022 | 10:24 AM

Bloomberg Línea — Com investidores buscando pistas sobre os próximos passos do Federal Reserve, nos Estados Unidos, repercutindo a guerra na Ucrânia, e do Banco Central do Brasil, após dados de inflação acima do esperado, o Ibovespa (IBOV) opera em queda na manhã desta sexta-feira (8).

PUBLICIDAD

O movimento é contrário ao visto no exterior, com alta das bolsas na Europa e de díndices futuros dos Estados Unidos.

Em março, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou para 1,62%, no maior resultado para o mês desde 1994. O resultado foi puxado principalmente pela alta dos combustíveis, com destaque para a gasolina, e dos alimentos, na esteira da invasão da Rússia na Ucrânia.

PUBLICIDAD
  • No ano, o indicador acumula alta de 3,20% e, nos últimos 12 meses, de 11,30%, acima dos 10,54% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (8) pelo IBGE.

A situação preocupa, porque vemos que as políticas monetárias que estão sendo implantadas, com a taxa de juros aumentando reunião após reunião, ainda não estão surtindo efeito nos preços. Considerando um cenário de inflação pujante, não tem como criar um ambiente estável visando crescimento econômico e fortalecimento da cadeia de forma geral; isso tem um impacto negativo na economia real e nos mercados”, avalia Samuel Cunha, economista e sócio do escritório de assessoria de investimentos H3 Invest.

Os investidores também repercutem o impacto de sanções à Rússia nos preços das commodities. A União Europeia concordou em proibir as importações de carvão da Rússia. O pacote de sanções, que também inclui a proibição de entrada na UE da maioria dos caminhões e navios russos, foi assinado ontem pelos diplomatas do bloco.

PUBLICIDAD

O primeiro-ministro do Japão Fumio Kishida também afirmou que o país proibirá as compras de carvão russo. “As ações cruéis e desumanas da Rússia estão vindo à tona uma após a outra em toda a Ucrânia”, disse nesta manhã.

  • O preço do petróleo subia nesta manhã: o tipo WTI era negociado a US$ 97, enquanto o tipo Brent era negociado levemente acima dos US$ 100.

As ações globais estão sofrendo perdas na semana, à medida que os mercados calculam sobre a campanha do Fed contra as pressões de preços elevadas, a guerra da Rússia na Ucrânia e as dificuldades da covid na China. O lockdown em Xangai – que registrou mais de 21.000 novos casos diários do vírus – se tornou um dos maiores desafios do presidente Xi Jinping. Crescem as expectativas de que a China tome medidas para apoiar sua economia.

Confira o desempenho dos mercados nesta sexta-feira (8):

PUBLICIDAD
  • Por volta das 10h20 (horário de Brasília), o Ibovespa operava em queda de 0,32%, aos 118.478 pontos;
  • O dólar à vista recuava 0,17%, a R$ 4,74;
  • Entre os juros futuros, o DI para 2025 subia 22 pontos-base, a 11,70%;
  • Nos EUA, os índices futuros do Dow Jones tinham leve alta de 0,08%, os do S&P 500 operavam estáveis, enquanto os da Nasdaq recuavam 0,31%;
  • Na Europa, as bolsas também subiam: o Dax, da Alemanha, subia 1%, enquanto o FTSE, do Reino Unido, tinha ganhos de 0,96%;

Leia também:

Período difícil para o S&P 500 está apenas começando, diz gestor

Últimas BrasilBloomberg LíneaDólarJurosIPCAIbovespaInflaçãoAções
Mariana d'Ávila

Mariana d'Ávila

Redatora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero, especializada em investimentos e finanças pessoais e com passagem pela redação do InfoMoney.

PUBLICIDAD