Startups

Inverno cripto? Holding do Mercado Bitcoin demite 12% dos funcionários

Onda de demissões já atingiu seis startups de valuation bilionário no Brasil; no mercado de criptomoedas, Bitso e Buenbit também cortaram

2TM, holding do Mercado Bitcoin, acaba de anunciar a redução do seu quadro de funcionários
01 de Junho, 2022 | 05:12 PM

Bloomberg Línea — A startup brasileira de criptomoedas Mercado Bitcoin, da holding 2TM, acaba de se tornar o mais recente unicórnio que demitiu funcionários diante da virada do mercado para empresas de tecnologia em todo o mundo. A 2TM disse nesta quarta-feira (1) que demitiu 90 pessoas, o equivalente a 12% de sua equipe, devido “à mudança no cenário financeiro global, altas taxas de juros e inflação, que teve grande impacto nas empresas de tecnologia de alto crescimento”.

PUBLICIDAD

A empresa disse que essa nova realidade exige que a 2TM também busque uma nova equação de crescimento e investimento. “O cenário exigiu ajustes que vão além da redução das despesas operacionais, tornando necessário também o desligamento de alguns de nossos funcionários. O processo que realizamos foi pautado pela transparência e respeito, de forma a honrar o legado de cada colaborador que nos ajudou a chegar até aqui”, afirmou a empresa, em nota à imprensa.

A 2TM disse que foi oferecido um pacote de benefícios para apoiar os demitidos, que vai desde ajuda na recolocação no mercado até a manutenção do plano de saúde por um período determinado. O Mercado Bitcoin disse que “permanece firme em seu propósito de construir a infraestrutura baseada em blockchain líder de mercado”.

PUBLICIDAD

Colapso de cripto?

Na semana passada, a empresa de criptomoedas argentina Buenbit demitiu 50% de sua equipe e a mexicana Bitso demitiu pelo menos 80 pessoas em áreas técnicas e comerciais. Em entrevista à Bloomberg Línea, Federico Ogue, CEO da Buenbit, disse que as demissões não estavam relacionadas ao colapso da moeda Terra, mas que foi uma decisão na qual a empresa vinha trabalhando há meses devido ao “novo contexto global”.

Esse novo ciclo econômico de demissões já havia afetado os unicórnios VTEX, Olist, Facily, Loft, QuintoAndar e Creditas no Brasil, além da Bitso no México (como citado acima), e pode criar ainda mais vítimas, já que os grandes fundos de capital de risco estão recomendando às startups investidas que se preparem para um período que exigirá maior disciplina de capital.

PUBLICIDAD

Leia também:

O inverno chegou: unicórnios VTEX e Bitso fazem demissão em massa

TechCryptoBloomberg LíneaStartups BrasilÚltimas BrasilMercado Bitcoin
Isabela  Fleischmann

Isabela Fleischmann

Jornalista brasileira especializada na cobertura de tecnologia, inovação e startups

PUBLICIDAD