Estilo de vida

Lisboa, Miami e Dubai são os melhores lugares para trabalhar e ganhar mais

Em Portugal, clima ensolarado e baixo custo de vida levaram a uma forte entrada de moradores que agora podem trabalhar de qualquer lugar

Em Lisboa, estrangeiros estão dispostos a pagar mais do dobro por uma casa do que os compradores nacionais.
Por Damian Shepherd
28 de Abril, 2022 | 03:56 PM

Bloomberg — Para a onda de executivos que se tornaram nômades digitais desde a pandemia, não há lugar mais acolhedor do que Lisboa.

PUBLICIDAD

Isso de acordo com uma pesquisa da corretora imobiliária Savills, que classificou 15 principais mercados residenciais pelo apelo a trabalhadores remotos de longo prazo. O clima ensolarado da capital portuguesa e o baixo custo de vida levaram a uma entrada de moradores que agora podem trabalhar de qualquer lugar.

“A pandemia foi um catalisador para os executivos saírem da vida no escritório”, disse Paul Tostevin, diretor de pesquisa mundial da Savills, em entrevista por telefone. “Lisboa oferece as vantagens de viver na cidade e as vantagens de estar na União Europeia.”

PUBLICIDAD
Lisboa desponta como destino adequado para nômades digitaisdfd

Savills disse que a velocidade da banda larga também está entre as razões pelas quais os trabalhadores remotos são atraídos para a cidade, que se tornou um ímã para investidores imobiliários internacionais. Os estrangeiros estão dispostos a pagar mais do dobro por uma casa em Lisboa do que os compradores nacionais, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística de Portugal.

Os compradores estrangeiros pagaram um preço médio de 4.283 euros (4.576 dólares) por metro quadrado de propriedade em Lisboa nos três meses até dezembro, em comparação com 1.858 euros para os locais, disse o instituto em um relatório divulgado na semana passada. O aumento da demanda elevou os preços dos imóveis na cidade em 11,4% no mesmo período, o que significa que alguns compradores domésticos estão sendo forçados a procurar uma casa em outro lugar.

PUBLICIDAD

Os nômades digitais também estão migrando para a região sul do Algarve, em Portugal. Já popular entre os turistas, o clima da região, as praias e as conexões fáceis com o resto da Europa estão estimulando os compradores estrangeiros a comprar casas para usar durante todo o ano.

“As pessoas estão a tornar as suas casas de férias mais permanentes”, disse James Robinson, diretor de vendas da QP Savills, a corretora no Algarve. “Os clientes estão procurando espaço de escritório, que nem estava na agenda antes, e internet de alta velocidade, que temos aqui.”

Miami

Logo atrás de Lisboa está Miami, que fica em segundo lugar no índice da Savills. Uma mistura de incentivos fiscais, taxas de juros baixas e políticas de trabalho remoto tornam a cidade da Flórida um destino popular para compradores que se mudam de estados do nordeste dos Estados Unidos. Dubai, que é um centro de expatriados bem estabelecido, também obteve uma pontuação alta ao lado de Barbados, Barcelona e Dubrovnik. Não houve cidades asiáticas incluídas no ranking.

PUBLICIDAD

Em Lisboa, Ricardo Garcia, diretor de imóveis residenciais da Savills na cidade, diz esperar que o fluxo continue à medida que a cidade cresce seu status como um hub de tecnologia.

“As empresas estão mudando sua sede para Portugal”, disse Garcia. “A área está se tornando cada vez mais internacional e não vejo Lisboa ou Portugal amenizando esse movimento tão cedo.”

PUBLICIDAD

Veja mais em bloomberg.com

Leia também:

XP: Inflação é inimiga comum na América Latina e permanecerá elevada por mais tempo

Últimas BrasilPortugalEstados UnidosHome OfficeCarreira
PUBLICIDAD