Eleições 2022

Lula lidera em nova pesquisa sem Doria, aponta XP/Ipespe

Pesquisa mostra que petista ganha em todos os cenários e em quase todos os recortes, perdendo apenas entre evangélicos e no Sul

Primeira pesquisa XP/Ipespe sem Doria mostra liderança estável de Lula sobre Bolsonaro, embora ambos tenham caído um ponto percentual desde o último levantamento, que ainda mostrava o tucano como candidato
03 de Junho, 2022 | 01:24 PM

Bloomberg Línea — A nova pesquisa XP/Ipespe divulgada nesta sexta-feira (3), primeira do instituto sem João Doria (PSDB) na disputa, mostra estabilidade da dianteira do ex-presidente Lula (PT) em relação ao presidente Jair Bolsonaro (PL). O petista vence em quase todos os cenários — perde apenas entre evangélicos e na Região Sul.

PUBLICIDAD

Ex-governador de São Paulo, Doria desistiu de se candidatar a presidente no dia 23 de maio. A pesquisa anterior da XP/Ipespe, divulgada em 27 de maio, ainda mantinha o nome do tucano como candidato.

No consolidado das intenções de voto, Lula fica com 45% e Bolsonaro, com 34%. Ambos oscilaram um ponto para baixo desde a última pesquisa, divulgada há uma semana. Logo depois deles vêm Ciro Gomes (PDT), com 9%, Simone Tebet (MDB), com 3%, e André Janones (Avante), com 1%.

PUBLICIDAD

A maior vantagem de Lula está no Nordeste. Lá, ele tem 58% das intenções de voto, contra 24% de Bolsonaro. A vantagem, no entanto, diminuiu: o placar era 59% a 21% na semana passada e 58% a 20% há um mês. Já na Região Sul, Bolsonaro ganha por 45% a 36%.

Nas regiões Norte e Centro-Oeste, agregadas na pesquisa, Lula vence por 41% a 37%. No Sudeste, a vitória do ex-presidente é por 41% a 35%.

PUBLICIDAD

Lula também vence entre os católicos e os que professam outras religiões, mas perde entre os evangélicos. Entre católicos, o placar é 46% a 33% a favor do petista. Com as demais religiões, fica 53% a 23% a favor de Lula. Já entre os evangélicos, Bolsonaro ganha por 49% a 34%.

Economia

A reprovação do governo Bolsonaro segue em 60% e 50% consideram o governo ruim ou péssimo. Os motivos apontam para a economia.

De acordo com a pesquisa, 61% acreditam que a condução da economia está no caminho errado. Já 96% acreditam que os preços dos produtos aumentaram nos últimos meses — 71% acham que os preços “aumentaram muito” e 25%, que “aumentaram”.

PUBLICIDAD

E 63% dos entrevistados acreditam que os preços ainda vão aumentar nos próximos meses. Desse total, 43% acham que os preços vão “aumentar” e 20%, que vão “aumentar muito”.

Características pessoais

A pesquisa divulgada nesta sexta também perguntou aos eleitores o que eles consideram as principais características dos candidatos. Lula também aparece como o maior representante de quase todas as características — só perde para Bolsonaro em “pulso firme”.

PUBLICIDAD

Segundo a pesquisa, 81% dos eleitores consideram honestidade o principal atributo de um candidato. Lula foi associado a essa característica por 35% dos pesquisados, enquanto Bolsonaro foi citado por 30%.

Em segundo lugar vem a “preocupação com as pessoas”, citada por 77% dos entrevistados. É o atributo no qual Lula abre maior vantagem em relação a Bolsonaro: 45% a 24%.

PUBLICIDAD

O pior desempenho de Bolsonaro nesse capítulo da pesquisa é no quesito “ideias novas e modernas”, citado por 59% dos entrevistados. O presidente foi associado a esse atributo por 20% dos eleitores. Lula ficou com 30% — é a categoria na qual Ciro Gomes vai melhor, com 18% das citações.

A pesquisa ouviu mil pessoas por telefone entre os dias 30 de maio e 1 de junho. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos e o índice de confiança é de 95,5%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-02893/2022.

PUBLICIDAD

Leia também:

Datafolha sem Doria e Moro: Lula tem 48%, Bolsonaro, 27%

PUBLICIDAD

Como a cúpula tucana inviabilizou a candidatura de João Doria

Simone Tebet: quem é, de onde veio e o que pensa a pré-candidata do MDB

BrasilÚltimas BrasilBloomberg LíneaEleições 2022LulaJair BolsonaroCiro GomesSimone TebetXP
Pedro Canário

Pedro Canário

Repórter de Política da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero em 2009, tem ampla experiência com temas ligados a Direito e Justiça. Foi repórter, editor, correspondente em Brasília e chefe de redação do site Consultor Jurídico (ConJur) e repórter de Supremo Tribunal Federal do site O Antagonista.

PUBLICIDAD