PUBLICIDAD
PUBLICIDAD
Eleições 2022

Pesquisa CNT/MDA: Bolsonaro ganha terreno e reduz dianteira de Lula

Em fevereiro, ex-presidente tinha 42% das intenções de voto e passou a ter 40,6% em maio; Bolsonaro subiu de 28% para 32% no mesmo período

Bolsonaro
10 de Maio, 2022 | 02:21 pm

Bloomberg Lìnea — A distância entre as intenções de voto do ex-presidente Lula (PT) e do presidente Jair Bolsonaro (PL) caiu 5,6 pontos de fevereiro para cá. Segundo pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira, Bolsonaro cresceu quatro pontos no período e chegou a 32% das intenções de voto. Já Lula, que continua em primeiro lugar, perdeu quase dois pontos e chegou a 40,6% das intenções.

A pesquisa tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Ou seja: enquanto a queda de Lula aconteceu dentro da margem, o crescimento de Bolsonaro se deu acima da margem de erro da pesquisa.

PUBLICIDAD

O presidente, portanto, vem ganhando terreno. De julho do ano passado, quando ele tinha 26,6% das intenções de voto, segundo a CNT/MDA, e maio deste ano, o crescimento foi de mais de seis pontos.

A pesquisa divulgada nesta terça ainda mostrou Ciro Gomes (PDT) com 7,1% das intenções de voto, João Doria (PSDB) com 3,1%, André Janones (Avante) com 2,5% e Simone Tebet (MDB) com 2,5%.

Bolsonaro também mostrou melhora nas avaliações positivas. Os que consideram seu governo ótimo ou bom foram 30,4% em maio, ante 25,9% em fevereiro, quando foi feita a última edição da pesquisa. Já os que consideram o governo ruim ou péssimo foram 43,6% em maio, ante 43% em fevereiro.

PUBLICIDAD

O desempenho pessoal do presidente é desaprovado por 58,8% dos pesquisados e aprovado por 37,9%.

A pesquisa também mostrou que o eleitor de Bolsonaro é mais fiel que o eleitor de Lula. De acordo com o levantamento, a intenção de voto em Lula é definitiva para 78,1% dos pesquisados e 21,9% disseram que podem mudar de ideia até outubro. Já a intenção de voto em Bolsonaro é definitiva para 82,1% dos entrevistados, enquanto 17,9% disseram que podem mudar de ideia até a data das eleições.

Ao mesmo tempo, os dados mostram que as campanhas do petista e do presidente precisam tentar conquistar os eleitores de Ciro Gomes e de João Doria. Segundo a pesquisa, 49% dos eleitores de Ciro disseram que podem mudar o voto até outubro. Para Doria, a cifra dos que admitem mudar é de 65%.

A pesquisa ouviu 2.002 pessoas por telefone entre os dias 4 e 7 de maio. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos. O registro no TSE é BR-05757/2022.

BrasilÚltimas BrasilBloomberg LíneaEleições 2022Jair BolsonaroLulaCiro GomesJoão DoriaSimone Tebet
Pedro Canário

Pedro Canário

Repórter de Política da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero em 2009, tem ampla experiência com temas ligados a Direito e Justiça. Foi repórter, editor, correspondente em Brasília e chefe de redação do site Consultor Jurídico (ConJur) e repórter de Supremo Tribunal Federal do site O Antagonista.

PUBLICIDAD