Mercados

Quedas de ações nos EUA pesam e Ibovespa recua

Sell-off ganha força nos principais mercados acionários americanos e pressionam o índice brasileiro para baixo

investidores repercutem a sequência de executivos de grandes companhias americanas alertando para as perspectivas para a economia global
03 de Junho, 2022 | 02:26 PM

Bloomberg Línea — O principal índice da Bolsa de São Paulo opera no vermelho nesta sexta-feira (3), seguindo a retomada do sell-off nos mercados acionários americanos, com o S&P 500 caindo cerca de 1% no início da tarde. Enquanto isso, o dólar recua, após oscilar ao longo da manhã.

PUBLICIDAD

Os investidores repercutem a divulgação de dados de emprego dos Estados Unidos e a sequência de executivos de grandes companhias americanas alertando para as perspectivas para a economia global, entre eles Elon Musk.

O CEO da Tesla (TSLA) disse que a montadora de carros elétricos precisa cortar cerca de 10% do seu quadro de funcionários em meio a uma perspectiva “muito ruim” da economia.

PUBLICIDAD

Por aqui, as atenções recaem sobre os dados da produção industrial, que teve variação positiva de 0,1% em abril na comparação com o mês anterior. Foi o terceiro mês seguido de avanço, acumulando alta de 1,4% no período. Nos primeiros quatro meses de 2022, contudo, o setor ainda acumula queda de 3,4%.

Confira o desempenho dos mercados nesta sexta-feira (3):

PUBLICIDAD
  • Por volta das 14h10 (horário de Brasília), o Ibovespa operava em queda de 0,77%, aos 111.521 pontos;
  • O dólar à vista caía 0,33%, negociado a R$ 4,78;
  • Nos EUA, o Dow Jones caía 0,56%, o S&P 500, 1,22% e o Nasdaq, 2,10%

Contexto externo

O mercado digere os dados do relatório de emprego americano, o Payroll, e como eles podem afetar o ritmo de aperto da política monetária do Federal Reserve. O forte relatório de empregos reprimiu algumas preocupações de que o crescimento estava desacelerando muito acentuadamente, ao mesmo tempo em que abriu caminho para o Fed permanecer agressivo.

Em maio, os EUA criaram 390 mil vagas de emprego, melhor que as 328 mil esperadas, de acordo com uma pesquisa da Bloomberg com economistas. A taxa de desemprego, contudo, permaneceu inalterada em 3,6% no mês, ante expectativas de 3,5%.

Na manhã de hoje (3), Jane Fraser, CEO do Citigroup (C), disse que não será fácil evitar uma recessão nos EUA.

PUBLICIDAD

Leia também:

Alerta aos BCs: preços globais dos alimentos atingem recorde em maio

Últimas BrasilBloomberg LíneaAçõesIbovespaJurosDólarWall Street
Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.

PUBLICIDAD