Startups

Rodadas early-stage da semana: de startup de drones a edtechs

Speedbird Aero, Koban, Incognia e outras startups conseguiram captar recursos mesmo com retração de fundos para aportes

Drone da Speedbird Aero, startup brasileira que recebeu aporte early-stage nesta semana
03 de Junho, 2022 | 11:22 AM

Bloomberg Línea — Apesar da retração de investimentos de fundos de venture capital, o financiamento inicial continua fluindo para a América Latina. Nesta semana, pelo menos 9 startups arrecadaram em rodadas na região: Speedbird Aero, Lingopass, Food To Save, Clubbi, Koban, Talently, Yummy, Incognia e Modak.

PUBLICIDAD

Speedbird Aero

A startup brasileira Speedbird Aero levantou uma Série A de R$ 35 milhões (US$ 7,31 milhões) liderada pela Bela Juju Ventures. A empresa brasileira de capital de risco Domo Invest e a Nau Capital, investidores anteriores que já haviam participado de uma rodada Seed de R$ 3,5 milhões na startup, também ingressaram na Série A, ao lado de investidores anjos como Anjos do Brasil.

A Speedbird Aero é uma startup que desenvolve e fabrica aeronaves para operações logísticas na América Latina. Foi a primeira empresa brasileira a receber a certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para operar aeronaves não tripuladas para entregas comerciais, como drones.

PUBLICIDAD

Fundada em 2018, a empresa quer impulsionar a indústria de drones, pois está trabalhando em projeto piloto com a gigante brasileira do delivery iFood. A Speedbird também vem realizando voos experimentais para empresas como Ambev, Laboratório Hermes Pardini e Natura.

Lingopass

A Domo Invest também investiu R$ 4 milhões na edtech brasileira Lingopass, que reúne em sua plataforma aulas de inglês, espanhol e francês. A startup foi fundada no ano passado e oferece sua plataforma como um benefício corporativo.

PUBLICIDAD

Food To Save

A plataforma brasileira de investimentos em startups CapTable concluiu uma rodada de financiamento de R$ 1,3 milhão para a Food To Save, foodtech que atua como elo entre estabelecimentos que possuem excedentes de produção de alimentos e clientes engajados e preocupados com o consumo consciente. A startup pretende fazer com que as pessoas a revisem seus hábitos alimentares e combatam o desperdício de alimentos.

A empresa diz que resgatou mais de 150 toneladas de alimentos que seriam desperdiçados no estado de São Paulo e vendeu 100 mil sacos de alimentos.

Iniciando as operações em maio de 2021 por meio de seu aplicativo móvel, a startup tem parceria com restaurantes, padarias e confeitarias como Rei do Mate, Chocolates Dengo, Pizza Hut, Duckbill e a tradicional padaria paulistana Bella Paulista.

PUBLICIDAD

Clubbi

A startup brasileira Clubbi, aspirante a ser um one-stop-shop para pequenos mercados, anuncia que arrecadou R$ 62 milhões (US$ 12,9 milhões) em rodada Série A da NFX, do Vale do Silício, e da ALLVP, com acompanhamento de Valor Capital Group, ONEVC e Better Tomorrow Ventures.

Seis meses após o anúncio da última rodada de investimentos (Rodada Seed de R$ 25 milhões), a empresa mais que dobrou sua base de clientes, atingindo quase 2.500 varejistas e expandindo para outros mercados, como Salvador, Bahia.

PUBLICIDAD

Com um crescimento de mais de 25% ao mês, a Clubbi oferece uma plataforma de comércio online na qual os varejistas podem comprar para suas lojas com entregas em até 24 horas.

Incognia

A plataforma brasileira de prevenção de fraudes Incognia captou US$ 15 milhões em uma rodada da Série A liderada pela Point72 Ventures. A Incognia atende clientes corporativos dos EUA, onde tem sua sede, mas é originária do hub Porto Digital, no Recife. A Incognia é uma spin-off da inLoco, uma empresa de localização que foi adquirida pela Magazine Luiza.

PUBLICIDAD

Modak

A Modak, uma plataforma Web3 para adolescentes, anunciou que recebeu US$ 5,3 milhões em uma rodada inicial liderada pela empresa global de capital de risco GGV Capital com participação de monashees, MAYA Capital, Nazca, ONEVC e outros empreendedores líderes e investidores-anjo. Hans Tung, sócio-gerente da GGV Capital, se juntará ao conselho como parte do financiamento.

A Modak oferece investimento, experiência prática e comunidade focada em adolescentes. O aplicativo Web3 da Modak permite que os membros colaborem entre si e conta com programas educacionais de matemática e programação. Embora a startup seja sediada na Califórnia, ela atua em mercados latino-americanos, como México e Colômbia.

PUBLICIDAD

“A Modak é sobre criar oportunidades. Esse financiamento fornece as ferramentas, recursos, acesso e rede – essencialmente um ecossistema para a Geração Z e a Geração Alfa orientadas por valores”, disse à Bloomberg Linea, Madhu Yalamarthi, CEO e cofundador, da startup.

Yummy

O aplicativo venezuelano de entrega e transporte Yummy recebeu US$ 47 milhões, em um aporte que diz ser o maior investimento de venture capital já recebido por uma startup do país. O aporte ajudará a empresa na expansão pela América Latina.

PUBLICIDAD

A empresa com sede em Caracas informou que a Anthos Capital liderou a rodada com a participação do JAM Fund, Soma Capital, WIND Ventures, Ethos Capital e YC Continuity. A empresa já tinha captado US$ 18 milhões em outubro.

A startup venezuelana fundada há dois anos atualmente presta serviços na Bolívia e lançou recentemente um produto de mobile commerce no Chile, Peru e Panamá.

PUBLICIDAD

Talently

A edtech peruana Talently levantou uma rodada de seed de US$ 3 milhões, a maior rodada de Seed em países de língua espanhola para uma empresa de tecnologia educacional. A startup oferece treinamento e um mercado de empregabilidade que conecta talentos tech latino-americanos com empresas internacionais.

500 Latam Startups, Alaya Capital, Salkantay Ventures, Newtype Ventures, Poder Ventures, Latin Leap e investidores anjo como os fundadores da Automattic (Wordpress), Cornershop, Clara e Startupeable participaram desta rodada.

PUBLICIDAD

A Talently, fundada no início de 2019 por Doménica Obando, Roxana Kern e Cristian Vega no Peru, cresceu 50x desde o início da pandemia e hoje mantém um crescimento mensal de 30%. O capital permitirá a consolidação da operação no México, Peru, Colômbia e Argentina.

Koban

Koban, uma plataforma boliviana de serviços financeiros digitais para a região andina e o Paraguai, levantou uma rodada de pré-seed de US$ 2,3 milhões. Os participantes do aporte incluem fundos globais como Precursor Ventures, FJ Labs, Goldtruck Holdings e latino-americanos como Newtopia, Buentrip Ventures e iThink VC, além de anjos como Ariel Lambrecht, fundador da 99.

É a maior rodada que uma startup já recebeu na Bolívia, o que permitirá acelerar a contratação, desenvolver tecnologia e produtos, além de agilizar sua estratégia de marketing e lançamento no seu primeiro mercado.

A Koban diz que atenderá um mercado de mais de 70 milhões de pessoas, onde a grande maioria não tem acesso a serviços financeiros ou é drasticamente mal atendida pelos bancos tradicionais.

Leia também:

Rodadas early-stage da semana: Cicada, Pandas, Nuqlea e mais

Startups BrasilBloomberg LíneaÚltimas Brasil
Isabela  Fleischmann

Isabela Fleischmann

Jornalista brasileira especializada na cobertura de tecnologia, inovação e startups

Yanin Alfaro (BR)

Yanin Alfaro (BR)

Jornalista com experiência em startups e tecnologia

PUBLICIDAD