Mercados

Rússia deve intensificar medidas para conter disparada do rublo

Aumento das exportações e os controles de capitais fizeram o rublo disparar para os níveis mais altos desde 2018

Un hombre camina junto a las catedrales ortodoxas rusas en el parque Zaryadye de Moscú. Fotógrafo: Yuri Kadobnov/AFP/Getty Images
Por Bloomberg News
25 de Maio, 2022 | 12:22 PM

Bloomberg — A Rússia corre para conter um rali do rublo e deve acelerar cortes de juros à medida que o avanço da moeda para uma máxima de quatro anos prejudica as finanças do governo e exportadores.

PUBLICIDAD

O banco central realizará uma reunião extraordinária na quinta-feira, na qual analistas esperam que anuncie outra medida de política monetária dramática para domar a moeda que mais se valoriza este ano.

A instituição não comentou as opções em pauta, mas autoridades disseram que mais cortes de juros são prováveis, já que a inflação caiu desde um aumento de juros de emergência nos dias após a invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro.

PUBLICIDAD

Apesar das amplas sanções impostas à Rússia, o aumento das exportações e os controles de capitais que minaram a demanda por divisas externas fizeram o rublo disparar para os níveis mais altos desde 2018. Esforços das autoridades para desacelerar os ganhos, incluindo dois cortes de juros em abril e a flexibilização dos principais controles de capital no início desta semana, até agora não ajudaram.

A valorização da moeda domina as discussões do presidente Vladimir Putin com autoridades econômicas, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, em uma teleconferência.

PUBLICIDAD

“O fortalecimento do rublo é um assunto que requer atenção especial do governo”, disse Peskov, sem dar detalhes. “A estabilidade macroeconômica está garantida.”

A urgência da situação alimentou as expectativas de um grande corte de juros na quinta-feira. A taxa básica está atualmente em 14%, e a TD Securities espera que seja reduzida em 3 pontos percentuais. A Oxford Economics espera 5 pontos percentuais, o que levaria a taxa de volta a um dígito.

“Não faria sentido convocar uma reunião de emergência e anunciá-la ao mercado a menos que estejam pensando em um grande corte”, disse Tatiana Orlova da Oxford Economics. “Eu nem ficaria surpresa com um corte de 700 a 800 pontos-base.”

PUBLICIDAD

A moeda russa se valorizou cerca de 30% em relação ao dólar este ano, mais do que qualquer outra.

“A alta do rublo atingiu o limiar da dor”, disse Dmitry Polevoy do Locko Bank. A provável flexibilização “não deve impedir o fortalecimento do rublo agora”, acrescentou, porque é impulsionado por um enorme superávit comercial.

PUBLICIDAD

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

10 melhores e piores cidades para evitar um burnout

Últimas BrasilRússia
PUBLICIDAD