Internacional

Frete de combustível dos EUA para o Brasil fica 10 vezes mais caro em 4 meses

Tarifas de transporte de combustíveis como gasolina e diesel no mundo chegaram ao maior patamar desde abril de 2020

Navios de longo alcance vêm sendo mais utilizados no transporte de combustíveis e produtos; viagens mais longas limitam a capacidade disponível nos navios, elevando os custos
Por Elizabeth Low
23 de Junho, 2022 | 09:09 am

Bloomberg — O deslocamento dos mercados globais de combustíveis após a invasão da Ucrânia pela Rússia elevou os custos do transporte de produtos como o diesel por via marítima. O custo do transporte de combustível dos Estados Unidos para o Brasil pela rota TC-18, por exemplo, está quase US$ 37 mil por dia, ante US$ 3,8 mil por dia há quatro meses.

PUBLICIDAD

As tarifas de transporte de combustíveis como gasolina e diesel – conhecido no setor como frete de carga limpa – mais do que dobraram este ano, chegando ao maior patamar desde abril de 2020, de acordo com dados da Baltic Exchange. Em uma importante rota na Ásia, os armadores agora recebem mais de US$ 47 mil por dia para transportar produtos da Coreia do Sul para o centro de distribuição de Singapura – ante US$ 98 no dia anterior à guerra.

A invasão russa exacerbou o aperto dos mercados de energia, aumentando os fluxos comerciais e forçando os compradores a vasculhar o mundo em busca de combustíveis alternativos. Um aumento inicial nas tarifas de transporte de petróleo bruto não foi sustentado, em parte devido à redução da demanda da China, levando alguns armadores a mudar parte de sua frota de forma a transportar combustíveis em vez de petróleo, segundo dois afretadores de navios-tanque.

PUBLICIDAD
Sanções afetam fluxo de transporte marítimo e, por consequência, preço do fretedfd

As tarifas de frete de navios-tanque para carga limpa estiveram nesse patamar no início de 2020, após o início da pandemia que acabou com o consumo de petróleo e forçou os produtores de combustível a exportar o máximo de produto possível para aliviar os estoques. Espera-se que a demanda por navios para transportar combustíveis suba 6% este ano, sustentada pela Europa, disse Anoop Singh, chefe de pesquisa de navios-tanque da Braemar ACM Shipbroking.

“A determinação da Europa de reduzir a dependência dos suprimentos russos provavelmente sobreviverá à guerra na Ucrânia, e isso vai redefinir as rotas comerciais”, disse Singh. Antes da guerra, a Rússia era o maior fornecedor externo de diesel para a Europa.

PUBLICIDAD

Desde a invasão no final de fevereiro, mais navios de longo alcance estão sendo usados para transportar combustíveis refinados, de acordo com Fotios Katsoulas e Krispen Atkinson, analistas da S&P Global Commodity Insights. Viagens mais longas estão reduzindo a quantidade de capacidade disponível nos navios e aumentando as tarifas de frete, segundo eles. Os navios-tanque são os mais comuns e são utilizados no transporte de produtos e de petróleo.

O aumento das tarifas está sendo replicado em outras regiões. Os armadores que transportam combustível do Oriente Médio para o Japão em uma rota conhecida como TC-5 – uma passagem importante para a nafta – recebiam mais de US$ 50 mil por dia nesta quarta-feira (23), em comparação com meros US$ 61 por dia em fevereiro, de acordo com dados da Baltic Exchange.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

PUBLICIDAD

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Em semana volátil, petróleo apaga altas da véspera com receio de recessão

Últimas BrasilGuerra na UcrâniacombustíveisTransporte
PUBLICIDAD