Startups

Três meses depois de Série A, Inventa recebe US$ 55 milhões da Greylock Partners

É a primeira vez que a empresa de VC norte-americana investe no Brasil; Inventa planeja chegar à Colômbia e México este ano

Marcos Salama, MBA por Stanford e ex-executivo da Rappi; Fernando Carrasco, data science expert da McKinsey, com MBA pela Universidade Columbia; e Laura Camargo, ex-investidora da General Atlantic e VP de Finanças da Gympass.
27 de Abril, 2022 | 10:00 AM

Bloomberg Línea — Inverno das startups e dificuldade de captação? Para a Inventa, startup que conecta pequenos e médios lojistas a fornecedores, este não tem sido o caso. Com um ano de vida, a empresa anunciou nesta quarta-feira (27) que recebeu uma rodada Série B de US$ 55 milhões (R$ 260 milhões) liderada pelo fundo de venture capital norte-americano Greylock Partners, que está investindo pela primeira vez no Brasil.

PUBLICIDAD

Outros investidores globais e locais participaram da captação, como a Andreessen Horowitz (a16z) e a Monashees - que lideraram a Série A de US$ 20 milhões em janeiro -, Founders Fund, Tiger Global, NXTP, ONEVC MAYA, Pear VC, Avenir Growth e A* Capital. É a terceira rodada da startup, que, ao todo, já captou R$ 405 milhões.

“Não precisamos do capital. Mas é importante para acelerarmos com novas categorias de produtos. São investidores que já conhecíamos desde muito tempo, não é como se tivéssemos acordado um dia e fechado o acordo. São conversas de tempos, eles vão vendo os resultados da companhia, entendendo o que estamos fazendo e o porquê”, disse Marcos Salama, CEO e cofundador da Inventa, em entrevista à Bloomberg Línea.

PUBLICIDAD

“Nós temos uma estratégia bem definida e clara. Esta rodada nos ajuda a aprofundar categorias existentes e agora abrir novas categorias como acessórios, bijuterias, porque nossos clientes - pequenas e médias lojas - buscam esses produtos, é uma informação baseada em dados”.

O modelo de negócio da Inventa consiste em dar crédito para o pequeno e médio varejista ao mesmo tempo que faz a gestão de quanto ele gasta com produtos de fornecedores e usa tecnologia para recomendar produtos melhores. Nos últimos meses, a empresa diz ter saltado de aproximadamente 20 mil para mais de 40 mil lojistas clientes pelo Brasil, e dobrado o número de fornecedores para 800.

PUBLICIDAD

A Inventa pretende dar seus primeiros passos fora do Brasil entre o terceiro e quarto trimestre deste ano, expandindo para o México e Colômbia. “Temos a tecnologia de recomendação, que é algo difícil de construir e tem muito valor. É algo replicável, a expansão rápida é parte da nossa forma de trabalhar. O time tecnológico fica no Brasil, mas teremos times localizados nesses países”, disse Salama.

Veja mais: Por que os unicórnios brasileiros estão demitindo

Hoje a empresa tem cerca de 230 funcionários e pretende finalizar o ano com 500. “Número de pessoas não é uma medalha de honra, mas nosso negócio vai requerer time comercial para expandir. Asseguramos que cuidamos desse time o melhor possível”, disse.

PUBLICIDAD

Salama disse que em uma situação de alta inflação e juros, as soluções financeiras da startup, com prazo de 90 dias sem juros para os lojistas pagarem, e cartão de crédito sem taxa adicional, ajudam os varejistas.

“Estamos começando a entregar software gratuito para o fornecedor e para o lojista. Eles aprendem a vender melhor e a fazerem ofertas mais segmentadas”.

PUBLICIDAD

Leia também

Conheça as brasileiras entre as 50 Mulheres de Impacto da América Latina em 2022

Startups BrasilVenture CapitalvarejoÚltimas BrasilBloomberg Línea
Isabela  Fleischmann

Isabela Fleischmann

Jornalista brasileira especializada na cobertura de tecnologia, inovação e startups

PUBLICIDAD