Internacional

Xi deixa investidores curiosos com a reunião misteriosa do Politburo

A declaração de 114 caracteres da reunião de segunda-feira (28) foi de a mais curta do mandato de uma década do presidente Xi Jinping

Declarações vagas
Por Bloomberg News
31 de Março, 2022 | 08:05 PM

Bloomberg — Investidores em busca de sinais sobre os planos da China para enfrentar a covid-19, a desaceleração econômica e a guerra da Rússia na Ucrânia ficaram decepcionados esta semana, quando o Politburo do Partido Comunista divulgou um comunicado misteriosamente breve de sua última reunião.

PUBLICIDAD

A declaração de 114 caracteres da reunião de segunda-feira (28) foi de longe a mais curta do mandato de uma década do presidente Xi Jinping e a primeira a não divulgar tópicos específicos de discussão, de acordo com uma análise da Bloomberg de cerca de 111 declarações. O relatório - dizendo apenas que os membros “estudaram trabalhos recentes” depois de fazer uma pausa para lembrar as vítimas do acidente aéreo de 21 de março no sul da China - se compara a uma média de cerca de 1.460 caracteres divulgados após reuniões anteriores.

O breve despacho mantém o mundo ainda mais no escuro do que o habitual sobre as questões que ocupam as 25 pessoas mais poderosas do país mais populoso do mundo. Além das atualizações sobre o desastre aéreo mais mortal da China em quase 30 anos, observadores aguardavam detalhes sobre os planos de Pequim de fortalecer a economia e os mercados financeiros em meio a lockdowns em função da covid e sanções à Ucrânia.

PUBLICIDAD

O intenso sigilo do Politburo - o órgão se reúne a portas fechadas e não publica horários ou agendas - significa que o público pode nunca saber porque o relato oficial da reunião de segunda-feira (28) foi tão curto. Ainda é possível que a mídia estatal divulgue mais declarações sobre as atividades do órgão. Às vezes, o partido divulga transcrições dos comentários de Xi meses ou até anos depois.

Rana Mitter, professora de política chinesa na Universidade de Oxford, disse que o Politburo pode tentar evitar declarações públicas para se dar o máximo de flexibilidade em um momento de incerteza.

PUBLICIDAD

“As declarações do Politburo geralmente refletem a vontade estabelecida da liderança”, disse Mitter, autor de “China’s Good War”. Algumas questões exigem “julgamentos que mudam rapidamente e, portanto, o Politburo não quer ficar preso a uma política que pode precisar mudar dentro de dias ou mesmo horas”, disse ele.

Esta última reunião ocorreu em um momento particularmente delicado para Xi, enquanto se prepara para uma reestruturação, que ocorre apenas duas vezes por década, no final deste ano, que deve dar a ele um terceiro mandato como líder. O partido anunciou a nomeação de três chefes regionais do partido na terça-feira (29), sugerindo que as mudanças de pessoal podem estar entre os tópicos de discussão do Politburo nesta semana. Separadamente, a agência de notícias oficial Xinhua informou na quinta-feira (31) que o ex-ministro da Justiça da China, Fu Zhenghua, foi expulso do partido como parte de uma investigação de corrupção.

As declarações mais curtas anteriores a esta tratavam de questões delicadas de negócios internos do partido. O Politburo emitiu declarações de cerca de 520 caracteres em dezembro de 2018 e novembro de 2017, resumindo os esforços para aplicar melhor a disciplina partidária, a segunda e a terceira mais curtas sob a condução de Xi, respectivamente.

PUBLICIDAD

A quarta declaração mais curta – um resumo de 532 caracteres publicado em dezembro de 2014 – ocorreu depois de uma das reuniões mais importantes do mandato de Xi. Nela, o Politburo decidiu expulsar e processar o ex-chefe da segurança, Zhou Yongkang, por corrupção. O membro aposentado do Comitê Permanente do Politburo foi posteriormente condenado a prisão perpétua por suborno, abuso de poder e roubo de segredos de Estado.

Grande parte das discussões do Politburo nunca vem a público, um fato sugerido pela declaração de segunda-feira (28) que o órgão também “estudou trabalhos recentes”. Uma frase semelhante – “outros assuntos foram discutidos” – apareceu em 94 dos 112 comunicados do Politburo desde novembro de 2012.

PUBLICIDAD

“Esta é realmente uma declaração muito curta”, disse Chong Ja Ian, professor associado de ciência política da Universidade Nacional de Singapura, sobre a última declaração. “Mesmo que a China e o mundo estejam observando de perto o que a liderança do PCC está fazendo neste momento, possivelmente esperando alguma direção ou clareza, parece que o Politburo continua comprometido em trabalhar em seu próprio ritmo.”

– Com a colaboração de Jing Li.

PUBLICIDAD

– Esta notícia foi traduzida por Marcelle Castro, Localization Specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDAD

Leia também

Petróleo sobe após recuo dos casos de covid-19 na China

Últimas BrasilChinaXi Jinping
PUBLICIDAD