Cripto

Bitcoin: pior já passou? Para especialistas, moeda pode cair mais

A maior moeda digital subia nesta segunda (30), chegando a saltar quase 6%, mas está em torno de US$ 30.000 há várias semanas

Bitcoin
Por Joanna Ossinger
30 de mayo, 2022 | 10:02 AM
Tiempo de lectura: 1 minuto

Bloomberg — Alguns observadores do mercado de criptomoedas se perguntam se o Bitcoin (BTC), preso em uma faixa em torno de US$ 30.000 ultimamente, é vulnerável a novas quedas.

A maior moeda digital subia pelo terceiro dia consecutivo na segunda-feira (30), chegando a saltar quase 6%, mas está presa em torno de US$ 30.000 há várias semanas. Além disso, sua correlação recorde com o índice Nasdaq 100 – ilustrando seu comportamento como ativo de risco – diminuiu na semana passada à medida que ações de tecnologia saltaram.

“Esse é o tipo de quebra de correlação que ninguém queria”, disse Antoni Trenchev, cofundador e sócio-gerente do credor de criptomoedas Nexo. “O Bitcoin ainda não testou suas mínimas de US$ 26.000 em 12 de maio. Dá a impressão que é apenas uma questão de tempo, dado o fracasso do Bitcoin em espelhar os ganhos do Nasdaq na semana passada.”

PUBLICIDAD
  dfd

O Bitcoin estava empacado nos últimos meses depois que o Federal Reserve e outros bancos centrais se voltaram para ciclos de aumento de juros. O colapso do ecossistema Terra também prejudicou o mercado de ativos digitais.

Nesta segunda-feira (30), feriado nos Estados Unidos, o Bitcoin e outras moedas digitais re-estabeleceram sua tendência de subir junto com as ações.

O Bitcoin se mantém relativamente bem em comparação com alguns de seus pares, incluindo o Ether em segundo lugar, mas algumas análises técnicas ainda sinalizam preocupações.

PUBLICIDAD

A caminhada de lado do Bitcoin nas últimas duas semanas terminou com os preços caindo no final da semana passada. Os pessimistas vão continuar a ter vantagem e qualquer quebra abaixo de US$ 28.000 pode trazer o piso de US$ 25.000 de volta ao foco. Um padrão de triângulo descendente indica que qualquer queda abaixo de US$ 25.400 poderia colocar em jogo o pico de 2017 – pouco abaixo de US$ 20.000.

“Um recuo final para testar as mínimas de 12 de maio perto de US$ 25.401 ainda parece mais provável antes que qualquer mínima significativa ocorra”, escreveu Mark Newton, chefe de estratégia técnica da Fundstrat.

  dfd

Veja mais em bloomberg.com

Leia também:

É hora de comprar ações de siderurgia, diz BBI; confira as preferidas

PUBLICIDAD