Mercados

Simpar cresce e espera ‘revelar tesouros fechados’ até 2025

Holding controla de forma ativa seis empresas, das quais três estão listadas e pelo menos duas teriam potencial para IPO nos próximos três anos

Empresa de aluguel de carros é que principal gerado de receita e de lucro da Simpar, holding que controla a locadora e outras cinco companhias
06 de Maio, 2022 | 09:33 am

Bloomberg Línea — A Simpar (SIMH3) é uma holding que tem atuado de uma forma que foge aos padrões de uma holding convencional. O grupo tem participado de forma ativa em todas as sete empresas que controla, desde quando a empresa conquistou a estrutura atual, em agosto de 2020.

PUBLICIDAD

Resultado da reorganização dos negócios da família que fundou a Júlio Simões Logística, a Simpar detém atualmente o controle da própria JSL (JSLG3), da Movida (MOVI3) e da Vamos (VAMO3), todas listadas na B3. Além disso, mantém sob seu guarda-chuva a CS Brasil, CS Infra, empresa de serviços públicos e gestão ambiental, a Original Concessionárias, grupo de revendas de carros e motos que adquiriu recentemente a rede AutoStar, e a BBC, plataforma de serviços financeiros que inclui leasing, seguros e financiamento para aquisição de veículos.

Com três de suas seis empresas já listadas, a expectativa da Simpar é “revelar tesouros fechados” ao mercado até 2025. “Temos pelo menos um ou dois ativos para revelar em um espaço de três anos”, afirma Denys Marc Ferrez, vice-presidente executivo de finanças da holding, à Bloomberg Línea. Segundo ele, até agora, a forma com que a holding revelou suas empresas para o mercado foi por meio de IPOs.

PUBLICIDAD

Na leitura da companhia, o mercado não percebeu ainda o potencial das empresas que ainda têm o capital fechado e parece não estar colocando no preço das ações a mudança de patamar ocorrida no grupo. Nos últimos 12 meses, os papéis praticamente andaram de lado, saindo de R$ 10,99 no início de maio do ano passado para os atuais R$ 11,35, acumulando uma modesta valorização de 3,3% no período.

“Precisamos continuar mostrando consistência nas entregas de todas as nossas empresas. Acreditamos que este ano teremos uma transformação ainda maior do que tivemos no ano passado. A empresa será ao final de 2022 mais parecida com o primeiro trimestre deste ano do que com a empresa que terminou 2021″, diz Ferrez.

PUBLICIDAD

Resultados do 1º trimestre

De janeiro a março, a Simpar registrou uma receita líquida de R$ 4,59 bilhões. O desempenho representa um crescimento de 75,2% em comparação aos resultados do primeiro trimestre do ano passado, quando a receita da holding foi de R$ 2,62 bilhões.

O resultado operacional da companhia também teve um avanço representativo. O Ebitda do primeiro trimestre de 2022 chegou a R$ 1,51 bilhão, mais do que o dobro dos R$ 733,7 milhões obtidos no mesmo período de 2021. O lucro líquido seguiu a mesma tendência, saindo de R$ 171,2 milhões no ano passado para R$ 328,5 milhões no primeiro trimestre deste ano, um avanço de 91,9%.

Das sete empresas do grupo, a Movida é a que contribui com a maior fatia da receita e também do lucro. Sozinha, a empresa de aluguel de carros representou no primeiro trimestre do ano 42,8% da receita da holding e 78,6% do lucro líquido. Já a JSL, empresa de logística que originou o conglomerado, foi responsável por 28,2% da receita, mas 10% do lucro. Já a Vamos, empresa de aluguel de caminhões e máquinas pesadas, respondeu por 20,6% da receita e por 37,1% do lucro líquido do período.

Leia também

Últimas BrasilBloomberg LíneaVamosLogísticaBalanços
Alexandre Inacio

Alexandre Inacio

Jornalista brasileiro, com mais de 20 anos de carreira, editor da Bloomberg Línea. Com passagens pela Gazeta Mercantil, Broadcast (Agência Estado) e Valor Econômico, também atuou como chefe de comunicação de multinacionais, órgãos públicos e como consultor de inteligência de mercado de commodities.

PUBLICIDAD