Negócios

Fortuna dos maiores bilionários brasileiros cai US$ 22 bi com virada da bolsa

Jorge Paulo Lemann, Eduardo Saverin, Marcel Telles, Beto Sicupira e Jorge Moll têm boa parte do patrimônio em capital de empresas listadas

Eduardo Saverin, brasileiro cofundador do Facebook, é ainda um relevante acionista da gigante de tecnologia
18 de Junho, 2022 | 10:23 am
Últimascotações

Bloomberg Línea — A fortuna dos cinco maiores bilionários brasileiros, Jorge Paulo Lemann, Eduardo Saverin, Marcel Telles, Carlos Alberto Sicupira e Jorge Moll, diminuiu de forma considerável em menos de um ano. Com a inflação nos maiores níveis em décadas e os preços das ações nas bolsas em queda com as altas de juros, o patrimônio líquido dos mais ricos do País foi afetado e eles estão “um pouco menos ricos”.

PUBLICIDAD

Conforme a Bloomberg News reportou, os 500 bilionários mais ricos do mundo perderam quase US$ 1 trilhão somado só neste ano. Por aqui, desde setembro do ano passado (mês em que a bolsa brasileira, que serve de referência para uma parte do patrimônio, começou a cair de forma mais acentuada), as quedas de fortuna dos maiores bilionários brasileiros totalizaram de cerca de US$ 22 bilhões.

Dentre os maiores bilionários do país, a redução mais significativa foi a de Eduardo Saverin, cofundador do Facebook (FB), com a indústria da tecnologia sendo altamente afetada neste ciclo econômico.

PUBLICIDAD

Veja abaixo quanto os cinco bilionários perderam desde setembro do ano passado, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index (na ordem a partir do mais rico):

1. Jorge Paulo Lemann: - US$ 2,2 bilhões

Jorge Paulo Lemann, empreendedor mais bem-sucedido e homem mais rico do Brasil, controla a Anheuser-Busch InBev (dona da Ambev no Brasil - ABEV3), a maior fabricante de cerveja do mundo, com os parceiros de longa data e também empreendedores bilionários Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira. O trio de executivos também tem participações na Kraft Heinz (KHC) e na Restaurant Brands International (QSR), a empresa do Burger King, além de controlarem a varejista Lojas Americanas (AMER3).

PUBLICIDAD

Lemann teve queda US$ 2,2 bilhões desde setembro do ano passado, com sua fortuna recuando de US$ 21,4 bilhões para US$ 19,2 bilhões.

2. Eduardo Saverin: - US$ 10,2 bilhões

A perda mais acentuada entre os bilionários brasileiros foi a de Eduardo Saverin, cofundador do Facebook. Os ativos de Saverin, em boa parte concentrados ainda na gigante de tecnologia e redes sociais, estão estimados em US$ 8,9 bilhões, quando no ano passado eram de US$ 19,1 bilhões.

3. Marcel Telles: - US$ 1,94 bilhão

Um dos sócios e parceiro de décadas de Lemann, Telles teve recuo de US$ 1,94 bilhão desde setembro de 2021, com sua fortuna passando de US$ 10,1 bilhões para US$ 8,16 bilhões.

PUBLICIDAD

4. Carlos Alberto Sicupira: - US$ 1,08 bilhão

Outro sócio do trio bilionário, Carlos Alberto Sicupira teve recuo de US$ 1,08 bilhão desde setembro de 2021. O patrimônio líquido dele foi de US$ 8,7 bilhões para US$ 7,62 bilhões.

5. Jorge Moll Filho (e família): - US$ 6,75 bilhões

Jorge Moll Filho é médico, cofundador e presidente do conselho da maior rede de hospitais privados do Brasil, a Rede D’Or (RDOR3). Moll e família tiveram redução do patrimônio da ordem de US$ 6,75 bilhões desde setembro do ano passado, de US$ 14 bilhões para US$ 7,25 bilhões.

PUBLICIDAD

Leia também:

Fortuna de David Vélez cai quase US$ 4 bilhões diante das dificuldades do Nubank

BillionairesÚltimas BrasilBloomberg LíneaFacebookJorge Paulo LemannEduardo Saverin
Isabela  Fleischmann

Isabela Fleischmann BR

Jornalista brasileira especializada na cobertura de tecnologia, inovação e startups

PUBLICIDAD