Mercados

Futuros e títulos do Tesouro dos EUA caem em meio a temores de inflação

Títulos do Tesouro caíam com a perspectiva de um rápido aperto monetário do Federal Reserve para conter as pressões de preços

Estos activos son los más expuestos a la inflación provocada por materias primas
Por Sunil Jagtiani
17 de Abril, 2022 | 10:49 pm

Bloomberg — As ações e os futuros de ações dos EUA caíam na noite deste domingo (17), enquanto os rendimentos do Tesouro subiam, já que um salto nos custos de energia destacou novamente as preocupações com a inflação que estão pesando na economia global.

PUBLICIDAD

As ações japonesas caíam junto com os contratos futuros do S&P 500 e Nasdaq 100. Os títulos do Tesouro caíam com a perspectiva de um rápido aperto monetário do Federal Reserve para conter as pressões de preços, empurrando o rendimento de 10 anos dos EUA para cerca de 2,86%.

Um indicador do dólar avançava, enquanto o iene recuava. O ouro atingiu uma alta de cinco semanas, com um clima de cautela prevalecendo nos mercados.

PUBLICIDAD

O gás natural e o petróleo subiam, em parte devido aos riscos da guerra da Rússia na Ucrânia. A possibilidade de um embargo de fato da União Europeia ao gás russo e a ameaça de algumas restrições ao petróleo no próximo pacote de sanções da Europa estimularam ambas as commodities. Os preços do gás natural nos EUA atingiam uma alta de mais de 13 anos.

A China deve divulgar dados trimestrais de crescimento e indicadores de atividade para março, que podem fornecer dicas sobre os danos econômicos dos lockdowns da covid. Autoridades cortaram a taxa de compulsório na sexta-feira (15), mas se abstiveram de reduzir as taxas de juros em uma abordagem cautelosa de flexibilização da política.

PUBLICIDAD

As restrições da China ligadas à covid estão prejudicando as cadeias de suprimentos e alimentando as pressões inflacionárias globais. Estes últimos já foram exacerbados por interrupções nos fluxos de commodities devido à guerra e ao isolamento da Rússia. Cresce a preocupação de que a economia dos EUA enfrente uma desaceleração do pivô do Fed em direção a uma política agressiva de aperto para conter o custo de vida.

“Mudanças importantes de regime raramente são suaves em geopolítica ou economia, e os mercados estão subestimando esses riscos”, escreveu Eric Robertsen, estrategista-chefe do Standard Chartered Bank, em nota. “Estamos cada vez mais preocupados com um verão de turbulência e volatilidade.”

A história sugere que o Fed enfrentará uma tarefa difícil ao apertar a política para esfriar a inflação sem causar uma recessão nos EUA, de acordo com o Goldman Sachs (GS). O banco colocou as chances de uma contração em cerca de 35% nos próximos dois anos.

PUBLICIDAD

Em Xangai, as autoridades relataram as primeiras mortes por um surto crescente de covid-19. A cidade também publicou planos para retomar a produção após um lockdown prolongado, recomendando que as empresas adotem o chamado gerenciamento de circuito fechado, onde os trabalhadores moram no local e são testados regularmente.

Eventos para acompanhar esta semana:

PUBLICIDAD
  • Os balanços a serem divulgados esta semana incluem American Express (AXP), Bank of America (BAC), Bank of New York Mellon (BK), IBM (IBM), Johnson & Johnson (JNJ), Netflix (NFLX), Tesla (TSLA)
  • Fechamento do mercado na segunda-feira de Páscoa no Reino Unido e em grande parte da Europa
  • PIB da China, dados de atividade econômica, segunda-feira
  • Reuniões de primavera do FMI/Banco Mundial começam na segunda-feira
  • O presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, falará na segunda-feira
  • Presidente do Fed de Chicago, Charles Evans, falará na terça-feira
  • Relatório de inventário de petróleo bruto da EIA, quarta-feira
  • Taxas primárias de empréstimos na China, quarta-feira
  • Livro bege do Federal Reserve, quarta-feira
  • Debate das eleições presidenciais francesas, quarta-feira
  • A presidente do Fed de São Francisco, Mary Daly, e o presidente do Fed de Chicago, Charles Evans, devem falar na quarta-feira
  • CPI da zona do euro, reivindicações iniciais de desemprego nos EUA, quinta-feira
  • O presidente do Fed, Jerome Powell, e a presidente do BCE, Christine Lagarde, discutem a economia global no evento do FMI, quinta-feira
  • PMIs de manufatura: zona do euro, França, Alemanha, Reino Unido, sexta-feira
  • Andrew Bailey, do Banco da Inglaterra, falará na sexta-feira

Alguns dos principais movimentos nos mercados:

Ações

  • Os futuros do S&P 500 caíam 0,7% às 22h46, horário de Brasília. O S&P 500 caiu 1,2% na quinta-feira
  • Os futuros do Nasdaq 100 caíam 1,1%. O Nasdaq 100 recuou 2,3% na quinta-feira
  • Índice Topix do Japão recuava 1,2%
  • Kospi da Coreia do Sul perdia 0,1%

Moedas

  • O Bloomberg Dollar Spot Index subiu 0,3%
  • O euro estava em US$ 1,0794, queda de 0,2%
  • O iene estava em 126,73 por dólar, queda de 0,2%
  • O yuan offshore estava em 6,3882 por dólar, queda de 0,1%

Renda fixa

  • O rendimento do Tesouro dos EUA de 10 anos subia cerca de quatro pontos base para 2,87%;

Commodities

  • Petróleo West Texas Intermediate subia 1%, para US$ 108,01 por barril
  • O ouro estava em US$ 1.986,91 a onça, alta de 0,4%

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Últimas BrasilMercadosfuturosUcrânia
PUBLICIDAD