Internacional

Hong Kong considera bloquear o Telegram no país, diz jornal local

Temores são de que a ex-colônia britânica esteja se aproximando dos controles de internet no estilo de Pequim

Se Hong Kong seguir em frente, será a mais recente de uma série de medidas das autoridades para reprimir o doxxing
Por Felix Tam e Kari Lindberg
17 de Maio, 2022 | 08:45 AM
Últimascotações

Bloomberg — As autoridades de Hong Kong estão deliberando se devem restringir o acesso público ao serviço de mensagens Telegram, informou o Sing Tao Daily, potencialmente revivendo temores de que a ex-colônia britânica esteja se aproximando dos controles de internet no estilo de Pequim.

PUBLICIDAD

O Comissário de Privacidade de Dados Pessoais está considerando invocar regulamentos pela primeira vez para restringir o acesso a uma plataforma que descobriu ser desenfreada com doxxing, informou o jornal local na terça-feira (17). O doxxing generalizado – ou exposição online de dados pessoais e confidenciais – foi direcionado a funcionários do governo e cidadãos, disse o jornal, citando pessoas não identificadas.

Se tomada, tal ação provavelmente alimentará temores de que a legislação de segurança nacional promulgada em 2020 invada ainda mais as liberdades civis, como parte de um esforço contínuo de Pequim para exercer sua influência sobre a cidade. O relatório vem dias após a nomeação de um novo líder que é um defensor da lei de segurança nacional imposta pela China. Um representante do governo de Hong Kong não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários.

PUBLICIDAD

Uma revisão das instituições políticas de Hong Kong nos últimos anos já esmagou o movimento pró-democracia da cidade e alimentou alertas sobre o fim do status da cidade como um centro comercial livre. Mas as autoridades até agora evitaram restrições na internet semelhantes à China, onde uma infinidade de serviços estrangeiros do Facebook (FB) ao Google (GOOG) e Twitter (TWTR) são proibidos sob o que é conhecido como o Grande Firewall.

Não está claro como o órgão de vigilância da privacidade pretende realizar tal ação. O bloqueio de sites ou aplicativos da internet geralmente requer a cooperação de provedores de serviços locais, como em 2021, quando a polícia de Hong Kong invocou a lei de segurança nacional para bloquear o acesso ao HKChronicles. As autoridades podem optar por bloquear totalmente o acesso público ou erradicar o aplicativo das lojas de aplicativo da cidade, acrescentou o jornal, citando pessoas não identificadas.

PUBLICIDAD

Se Hong Kong seguir em frente, será a mais recente de uma série de medidas das autoridades para reprimir o doxxing, depois que detalhes de policiais e outros funcionários públicos foram divulgados por manifestantes de 2019. Em setembro, Hong Kong reforçou as leis de privacidade de dados para evitar doxxing, uma medida que assustou os grandes gigantes da tecnologia.

As autoridades considerarão as opiniões do público antes de tomar uma decisão, disse o jornal. Os canais do Telegram ainda são amplamente usados para ajudar os moradores a se manterem atualizados sobre processos judiciais envolvendo ativistas pró-democracia, um meio para os apoiadores dos protestos antigovernamentais de 2019 permanecerem conectados em meio à repressão à dissidência pelas autoridades.

Leia também

Musk diz que Twitter deve provar número de bots para seguir com acordo

Últimas BrasilChinaHong KongTelegram
PUBLICIDAD