Internacional

AO VIVO: Novas sanções contra Rússia são reivindicadas por crimes em Bucha

Presidente francês, Emmanuel Macron, disse que havia sinais claros de crimes de guerra em cidade nos arredores de Kiev

Civis mortos e feridos  na cidade de Bucha
Por Rosalind Mathieson
04 de Abril, 2022 | 09:35 AM

Bloomberg — A União Europeia disse que responsabilizará as autoridades russas por supostas atrocidades cometidas em cidades do norte da Ucrânia ocupadas por forças do Kremlin.

PUBLICIDAD

O presidente francês, Emmanuel Macron, disse que havia sinais claros de crimes de guerra em Bucha, uma cidade nos arredores de Kiev. O governo ucraniano pediu ao Tribunal Penal Internacional para reunir provas de supostas atrocidades, enquanto a UE declarou que planeja sanções adicionais contra Moscou. A Rússia negou relatos de que suas forças mataram civis na cidade.

Negociadores da Rússia e da Ucrânia podem retomar as conversas por vídeo na segunda-feira (4). Os militares ucranianos disseram que as forças russas continuam a atacar locais em todo o país.

PUBLICIDAD

Confira as últimas atualizações do noticiário pelo horário de Brasília:

Ucrânia pressiona por sanções mais duras após Bucha (16h10)

Zelenskiy e seus principais assessores pressionaram por uma reunião dos ministros das Relações Exteriores do G-7 nesta semana para aumentar suas sanções à Rússia, inclusive sobre as vendas de gás natural e petróleo, citando o que parecem ser atrocidades cometidas por tropas russas em Bucha, cidade perto de Kiev.

PUBLICIDAD

Zelenskiy disse ao parlamento da Romênia que tem razões para acreditar que o número de vítimas em Bucha é maior do que o relatado anteriormente e afirmou que mais valas comuns podem ser descobertas nos próximos dias.

Os militares e a polícia do Reino Unido estão fornecendo assistência técnica e a unidade de crimes de guerra da Polícia Metropolitana iniciou a coleta de evidências sobre a situação em Bucha.

França junta-se à Alemanha na expulsão de diplomatas russos (15h45)

A França expulsou 35 diplomatas russos após supostas atrocidades cometidas contra civis em Bucha, disseram dois funcionários do Ministério das Relações Exteriores da França. Os funcionários com status diplomático estavam realizando atividades “contrárias aos nossos interesses de segurança”, segundo um comunicado.

PUBLICIDAD

O vice-chanceler Alexander Grushko disse que a Rússia responderá às expulsões, informou a Interfax.

Alemanha expulsa diplomatas russos (14h10)

A Alemanha está expulsando 40 funcionários da embaixada russa em Berlim com suspeita de ligações com agências de espionagem russas. Essa é a primeira resposta ao suposto assassinato de civis ucranianos por soldados russos em Bucha.

PUBLICIDAD

Em um comunicado, a ministra das Relações Exteriores Annalena Baerbock disse que o governo alemão decidiu declarar como persona non grata “um número significativo de membros da Embaixada da Rússia que trabalham todos os dias contra nossa liberdade e contra a coesão de nossa sociedade aqui na Alemanha”.

Ucrânia precisa de ajuda urgente para lidar com minas (14h30)

A assistência internacional é urgentemente necessária para ajudar a fortalecer a capacidade da Ucrânia de lidar com a ameaça de munições explosivas e minas, disse Henrik Villadsen, coordenador de projetos da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa para a Ucrânia, em comunicado.

PUBLICIDAD

“Muitos civis não podiam deixar as áreas de violência armada e agora têm que sobreviver em um ambiente extremamente perigoso”, disse ele. “À medida que as frentes militares estão se movendo, as pessoas deslocadas se sentem tentadas a retornar às áreas afetadas que consideram seguras. Minas e munições não detonadas e abandonadas são agora uma ameaça generalizada para todos eles.”

Biden considera Putin ‘brutal’ criminoso de guerra (13h10)

Joe Biden disse que Putin pode enfrentar sanções adicionais conforme os EUA condenaram supostas atrocidades cometidas contra civis na Ucrânia.

PUBLICIDAD

“Esse cara é brutal e o que está acontecendo em Bucha é ultrajante, e todo mundo viu”, disse Biden a repórteres em seus primeiros comentários desde que surgiram fotos de civis mortos em valas comuns e nas ruas de cidades recém-libertadas pelas forças ucranianas. “Ele deve ser responsabilizado.”

Biden repetiu sua afirmação de que o presidente russo é um “criminoso de guerra” e disse que as evidências podem levá-lo a ser julgado por crimes de guerra.

PUBLICIDAD

Pentágono diz que Kiev ainda está em risco (10h05)

A capital da Ucrânia continua em risco de ataques das forças russas, mesmo quando Moscou desloca suas tropas para as partes orientais do país, disse um alto funcionário dos EUA.

Cerca de um terço dos 20 grupos táticos de batalhão que a Rússia implantou em Kiev permanece, com o restante em Belarus ou em direção ao país vizinho, disse o funcionário, que pediu para não ser identificado discutindo questões delicadas. Jatos russos continuam voando sobre a Ucrânia, mesmo que a proporção de ataques com mísseis esteja diminuindo, disse a autoridade.

PUBLICIDAD

EUA solicitam a suspensão da Rússia do Conselho de Direitos Humanos (9h)

Os EUA vão pressionar pela suspensão da Rússia do Conselho de Direitos Humanos da ONU em meio a evidências crescentes de que suas forças estão cometendo crimes de guerra na Ucrânia, disse a embaixadora nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfield, ao primeiro-ministro romeno Nicolae Ciuca, de acordo com um comunicado de seu gabinete. Thomas-Greenfield disse mais tarde que levantaria a questão das atrocidades no Conselho de Segurança da ONU na terça-feira.

Kremlin ‘nega categoricamente’ as alegações sobre Bucha (6h35)

A Rússia “nega categoricamente” as alegações de que suas forças mataram civis em Bucha, reiterou o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, na segunda-feira (4), não fornecendo novas evidências para apoiar as afirmações de Moscou de que as imagens do local são falsas.

PUBLICIDAD

Peskov pediu aos líderes estrangeiros que não se apressem em fazer declarações sobre o caso antes que uma investigação seja conduzida.

Alemanha está ‘trabalhando todos os dias’ para reduzir a dependência energética da Rússia (11h30)

O ministro da Economia alemão, Robert Habeck, reiterou que os esforços continuam para reduzir a dependência do país do gás, petróleo e carvão russos o mais rápido possível e disse que o progresso foi “surpreendentemente rápido”.

“Este é o caminho certo a seguir e que prejudica Putin todos os dias”, disse Habeck a repórteres em Berlim. A Alemanha está entre um pequeno número de membros da UE que se opõe a sancionar o setor de energia da Rússia, seu comércio marítimo e outras indústrias importantes. Habeck argumentou que um embargo imediato causaria muitos danos colaterais à maior economia da Europa.

Mais locais no oeste e leste da Ucrânia são alvejados (6h20)

A região de Ternopil, centro-oeste da Ucrânia, foi bombardeada durante a noite, disse o chefe da administração regional em um vídeo em seu canal Telegram. Áreas próximas à cidade portuária de Odesa, no sul, também foram alvejadas, enquanto o Estado-Maior das Forças Armadas Ucranianas disse que Ochakiv, no Mar Negro, foi atingida. Foguetes russos já atingiram depósitos de combustível e outras infraestruturas importantes no oeste.

Isso ocorre quando as forças russas reorientam sua campanha no leste e no sul e se afastam das áreas ao redor de Kiev, no norte. Ainda assim, os militares ucranianos disseram que um distrito residencial na cidade de Kharkiv, no norte, também foi bombardeado, matando sete pessoas e ferindo 34, e os combates na área continuam.

Há notícias ucranianas informando que quase toda a região de Donbass, em Luhansk, no leste, está sob ataque de morteiros. O governo vizinho de Donetsk pediu aos moradores que deixem as áreas ao redor da linha de contato, que divide as áreas separatistas apoiadas pela Rússia do resto da Ucrânia.

CEO do Deutsche Bank vê recessão se as importações de energia forem sancionadas (6h15)

A Alemanha enfrentará uma “clara recessão” se as importações de petróleo e gás natural russos forem interrompidas, disse o presidente-executivo do Deutsche Bank (DB), Christian Sewing, em declarações durante uma coletiva de imprensa.

A guerra da Rússia na Ucrânia e a pandemia de Covid-19 já atingiram a economia alemã, disse ele.

Truss para pedir sanções mais duras (5h50)

A secretária de Relações Exteriores do Reino Unido, Liz Truss, viajará para a Polônia na segunda-feira (4) para se encontrar com os ministros das Relações Exteriores da Ucrânia e da Polônia antes das negociações do Grupo dos Sete e da OTAN, em Bruxelas, no final desta semana.

Ela planeja pedir sanções mais duras contra a Rússia, disse o governo do Reino Unido em comunicado por e-mail.

UE diz que responsabiliza a Rússia por atrocidades (5h)

A UE condenou a Rússia por atrocidades cometidas por seus militares em várias cidades ucranianas, dizendo que o bloco trabalhará “com urgência” em sanções adicionais contra Moscou.

“As autoridades russas são responsáveis por essas atrocidades, cometidas enquanto tinham controle efetivo da área”, disse o bloco em comunicado conjunto, acrescentando que Bruxelas ajudará a Ucrânia a coletar e preservar evidências de crimes de guerra. “Eles estão sujeitos à lei internacional de ocupação.”

Polônia propõe proibição de vistos da UE para russos (9h30)

O primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, propôs uma proibição da UE de vistos para cidadãos russos durante uma entrevista coletiva em Varsóvia, chamando a medida de “indispensável”.

Ele apelou por uma investigação internacional do que descreveu como um “genocídio” contra os ucranianos e sanções mais duras contra a Rússia, dizendo que as medidas atuais não estão funcionando.

Não está claro se o resto do bloco concordaria com esse passo, o que pode ser perturbador.

Ministros das Relações Exteriores da Liga Árabe se encontrarão com Lavrov e Kuleba (4h15)

O secretário-geral da Liga Árabe, Ahmed Aboul Gheit, e os ministros das Relações Exteriores da Jordânia, Egito, Argélia, Iraque e Sudão planejam reuniões com a Rússia e a Ucrânia para promover uma solução diplomática para a guerra.

O grupo viajará a Moscou na segunda-feira (4) para conversar com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, e depois visitará a Polônia para se encontrar com o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba.

Os países da Liga Árabe tradicionalmente compram grandes quantidades de grãos da Rússia e da Ucrânia, que juntos respondem por mais de 25% das exportações globais de trigo.

Macron vê sinais claros de crimes de guerra (3h50)

Havia sinais claros de crimes de guerra russos em Bucha, que exigem uma nova rodada de sanções, disse o presidente francês Macron durante uma entrevista de rádio.

“Aqueles que estão por trás desses crimes terão que responder por eles”, disse Macron ao oferecer ajuda francesa na investigação ucraniana. “Não haverá paz sem justiça.”

A União Europeia discutirá nos próximos dias novas medidas, incluindo possíveis sanções ao petróleo e carvão russos, disse ele. Atualmente, a França detém a presidência rotativa do bloco.

Nova Zelândia anuncia novas sanções a empresários russos (3h30)

O Ministério das Relações Exteriores da Nova Zelândia anunciou novas sanções contra empresários russos com laços estreitos com o presidente Vladimir Putin, após alegações de crimes de guerra cometidos por tropas do Kremlin durante a invasão da Ucrânia.

No total, 36 indivíduos foram alvos das novas medidas, todos com vínculos estreitos com o regime russo ou com o próprio presidente russo”, disse a ministra das Relações Exteriores, Nanaia Mahuta, em comunicado na segunda-feira (4).

Zelenskiy falará com legisladores da Coreia do Sul (4h54)

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, fará um discurso virtual no parlamento da Coreia do Sul em 11 de abril, informou a agência de notícias Yonhap.

Condenamos veementemente as aparentes atrocidades cometidas pelas forças do Kremlin em Bucha e em toda a Ucrânia. Estamos buscando a prestação de contas usando todas as ferramentas disponíveis, documentando e compartilhando informações para que os responsáveis respondam por suas ações.

— Secretário Antony Blinken (@SecBlinken) 4 de abril de 2022

Japão condena mortes de civis (21h40)

O primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, declarou que os danos causados a civis “é uma violação do direito internacional”.

Quando se trata de novas sanções defendidas por alguns na Europa, o primeiro-ministro japonês disse a repórteres que analisaria a situação geral e trabalharia com a comunidade internacional para fazer o que precisa ser feito.

Mais combates pesados relatados em Mariupol (17h55)

Os combates intensos continuaram em Mariupol, o porto do sul que tem sido um dos principais alvos da Rússia, com as forças ucranianas ainda no controle das partes centrais da cidade, de acordo com uma avaliação diária da inteligência do Reino Unido.

O relato informa que ataques intensos e indiscriminados continuaram a atingir a cidade, onde a Ucrânia culpou as forças russas por matar 300 pessoas em um ataque a um teatro em março. Uma equipe do Comitê Internacional da Cruz Vermelha que buscava ajudar na passagem segura de civis para fora de Mariupol não conseguiu chegar à cidade na semana passada.

– Esta notícia foi traduzida por Marcelle Castro, Localization Specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Últimas BrasilUcrâniaRússia
PUBLICIDAD