Negócios

Decolar compra brasileira ViajaNet por US$ 15 milhões

Aquisição é a terceira da empresa no Brasil e a quinta na América Latina em três anos

“É mais um passo na estratégia de consolidação regional da Decolar, com foco especial no Brasil”, disse Marcelo Grether, diretor de fusões e aquisições e novos negócios da empresa, em comunicado.
06 de Maio, 2022 | 04:18 pm

Cidade do México — A Decolar.com, empresa de viagens online com sede na Argentina, concordou em comprar a ViajaNet, plataforma de reservas online de viagens com sede no Brasil, por US$ 15 milhões como parte de sua expansão para o maior mercado das Américas.

PUBLICIDAD

“É mais um passo na estratégia de consolidação regional da Decolar, com foco especial no Brasil”, disse Marcelo Grether, diretor de fusões e aquisições e novos negócios da empresa, em comunicado.

A compra da Viajanet considera o pagamento de 60% do preço de compra no fechamento, previsto para ocorrer no segundo trimestre, 20% nos próximos 24 meses e os 20% restantes em 36 meses.

PUBLICIDAD

A aquisição é a terceira da Decolar no Brasil e a quinta na região em três anos. Durante este período, conseguiu obter 100% do capital social da empresa brasileira Koin, bem como 51% da Stays.net.

Uma das operações mais recentes da Decolar foi a compra da Mexican Best Day em outubro de 2020, em meio a uma crise no setor de viagens devido À covid-19, o que permitiu acessar esses ativos a um preço menor do que o originalmente acordado.

PUBLICIDAD

Os termos da operação contemplaram finalmente um pagamento de US$ 56,5 milhões que serão desembolsados nos próximos 36 meses e a possibilidade de obter até US$ 20 milhões a mais em 48 meses, algo que dependerá da evolução do preço das ações da Decolar, que está listada na Bolsa de Valores de Nova York.

Leia também

Inflação implícita se aproxima de 7% no Brasil com novo avanço do petróleo

Últimas BrasilDecolarBloomberg Línea
Michelle del Campo

Michelle del Campo (BR)

Repórter mexicano especializado em empresas. Gosto de cobrir tópicos relacionados à sustentabilidade, startups e questões internacionais. Anteriormente, fiz parte da Infosel-Sentido Común, Transparencia Mexicana e Fundación Este País.

PUBLICIDAD