Internacional

Estados Unidos têm mais armas que pessoas e cidadãos seguem comprando mais

País lidera ranking de população civil mais armada do mundo, com 120,5 armas de fogo por 100 habitantes; curva de compras é ascendente

Os EUA são o único país no relatório do FBI que apresenta mais armas de propriedade de civis do que pessoas
Por Thomas Black
28 de Maio, 2022 | 05:42 PM

Bloomberg — O tiroteio em massa em Uvalde, Texas, está colocando os holofotes sobre os Estados Unidos como a população civil mais armada do mundo. Um surto recente de compras de armas de fogo provavelmente aumentou essa vantagem.

PUBLICIDAD

Os proprietários de armas dos EUA possuem 393,3 milhões de armas, de acordo com um relatório de 2018 da Small Arms Survey, uma organização com sede em Genebra, número que é maior do que a população do país, agora de cerca de 330 milhões. A Índia, que tem quase 1,4 bilhão de pessoas, tinha a segunda maior quantidade de armas de fogo de propriedade civil, com 71,1 milhões.

A diferença provavelmente está crescendo depois que os americanos entraram em uma onda de compra de armas a partir de 2020. O National Instant Criminal Background Check System, que o Federal Bureau of Investigation (FBI) coleta e é amplamente usado como base para compras de armas de fogo, saltou 40% em 2020 em relação ao ano anterior, para 39,7 milhões.

PUBLICIDAD

O frenesi só esfriou um pouco para 38,9 milhões de checagens em 2021, que geralmente são feitas antes das compras ou para receber autorizações de armas. Já foram 10,8 milhões de checagens até 30 de abril.

A tendência de as pessoas se armarem está em uma curva ascendente há anos, mesmo quando tiroteios em massa assolam o país. Na terça-feira (24), 19 alunos, dois professores e o atirador foram mortos em um tiroteio em uma escola primária em Uvalde, no estados do Texas.

PUBLICIDAD

Ele marca o mais recente massacre nos EUA, dias depois que 10 compradores negros foram mortos em um ataque em um supermercado de Buffalo, Nova York, e um homem foi morto e várias pessoas ficaram feridas em um ataque em uma igreja de Taiwan, no sul da Califórnia.

Os tiroteios em massa, longe de reprimir a demanda por armas, na verdade estimulam as compras daqueles preocupados que os legisladores possam aprovar medidas de controle de armas, mostraram as verificações do FBI repetidamente. Os investidores sabem disso. As ações da Smith & Wesson Brands Inc. chegaram a subir cerca de 9% em Nova York na quarta-feira (24) e as da Sturm Ruger & Co., fabricante de revólveres, avançaram mais de 6%.

Os EUA, o único país no relatório que tinha mais armas de propriedade de civis do que pessoas, tinham cerca de 120,5 armas de fogo por 100 habitantes. O Iêmen seguiu com 52,8 por 100 habitantes. O Canadá teve 34,7 e a França e a Alemanha tiveram 19,6, de acordo com o relatório de armas leves. Em países como Japão e Indonésia esse número caiu para menos de um.

PUBLICIDAD

Veja mais em bloomberg.com

Leia também:

TikTok quer fatia de mercado de transmissão ao vivo dominado pela Twitch

Últimas BrasilEstados Unidos
PUBLICIDAD