Mercados

Fábricas asiáticas mostram alguma resiliência, enquanto Europa desacelera

A China continua sendo um risco diante das restrições contra a covid que ameaçam sufocar a logística e restringir o comércio global

Fábricas asiáticas resistiram melhor que suas contrapartes europeias em abril ao impacto nas cadeias de suprimentos globais
Por Bloomberg News, Swati Pandey, Michelle Jamrisko y Alexander Weber
02 de Maio, 2022 | 10:12 AM

Bloomberg — As fábricas da Ásia tiveram melhores números que suas contrapartes europeias ao resistir ao impacto nas cadeias de suprimentos globais dos bloqueios da China e do conflito na Ucrânia.

PUBLICIDAD

O Índice de Gerentes de Compras da Coreia do Sul subiu para 52,1 em abril, de acordo com a S&P Global, recuperando algum fôlego perdido em março. As Filipinas, Mianmar e Austrália também avançaram, enquanto o Taiwan se mostrou uma exceção. Por outro lado, o índice equivalente da zona do euro atingiu um mínimo de 15 meses.

Ásia mostra resiliência, enquanto a Europa batalhadfd

“Será importante ver como o ímpeto de crescimento é sustentado em meio à interrupção contínua da cadeia de suprimentos e ao aumento acentuado dos custos”, disse Maryam Baluch, economista da S&P Global.

PUBLICIDAD

A China continua sendo um risco significativo, já que o último aumento nos casos de covid e os bloqueios subsequentes ameaçaram sufocar ainda mais a logística e restringir o comércio.

Na zona do euro, uma medida da atividade fabril foi revisada ligeiramente para 55,5, mas ainda confirmou desaceleração, com a escassez de componentes agravada pelo surto chinês e pela guerra na Ucrânia. O aumento dos preços e a incerteza sobre as perspectivas econômicas também pesaram sobre a demanda no bloco, enquanto o crescimento de novos pedidos segue desacelerando acentuadamente.

PUBLICIDAD

O setor manufatureiro da região “parece passar por um período difícil de queda na produção e aumento dos preços”, disse o economista da S&P Global, Chris Williamson.

As economias da Ásia-Pacífico, que incluem alguns dos maiores exportadores do mundo, resistiram em grande parte até abril. O impacto da atividade mais fraca na China - o principal parceiro comercial de grande parte da região - foi compensado pela demanda renovada em outros mercados importantes, como os EUA

As Filipinas registraram seu melhor desempenho desde novembro de 2017, seguindo o aumento da produção e novos pedidos. Apenas Taiwan caiu – refletindo seus profundos vínculos econômicos com a China – com sua leitura mais baixa desde julho de 2020.

PUBLICIDAD

Enquanto isso, na Coreia do Sul, as pressões de preço e oferta foram exacerbadas pela guerra da Rússia à Ucrânia e pelas crescentes restrições de Covid da China.

Os números do PMI de abril vão ser divulgados em diferentes dias, devido a feriados em toda a região. O PMI da Tailândia está programado para ser divulgado na terça-feira (3), com o Vietnã e a Indonésia na quarta-feira (4) e o da Malásia na quinta-feira (5).

PUBLICIDAD

As consequências das últimas lutas contra o covid na China ficaram evidentes nos dados de fabricação do país, com um indicador da atividade fabril caindo para o nível mais baixo em mais de dois anos em abril, mostraram dados divulgados no fim de semana.

“O desempenho do setor manufatureiro de Taiwan enfraqueceu em abril, com o recente aumento nos casos de covid-19 e bloqueios na China continental impactando a oferta e a demanda”, disse Annabel Fiddes, diretora associada de economia da S&P Global.

PUBLICIDAD

– Esta notícia foi traduzida por Melina Flynn, Content Producer da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDAD

Leia também

Mercados em descompasso nos EUA e na Europa, com foco em política de juros

Covid: casos em Xangai seguem abaixo de 10 mil

Últimas BrasilAsiaEuropa
PUBLICIDAD