Brasil

Homem confessa assassinato de indigenista e jornalista desaparecidos, diz PF

Jornalista Dom Phillips e indigenista Bruno Araújo estavam desaparecidos desde o dia 5; ministro diz que restos humanos encontrados vão à perícia

PF afirmou que não é possível ainda dizer a motivação dos suspeitos de envolvimento
16 de Junho, 2022 | 08:26 AM

Bloomberg — A Polícia Federal informou na noite desta quarta-feira (15), durante coletiva de imprensa, que Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como Pelado, teria confessado o envolvimento no assassinato do indigenista brasileiro Bruno Pereira Araújo e do jornalista britânico Dom Phillips.

PUBLICIDAD

Segundo o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, em publicação em uma rede social pouco antes da entrevista, a Polícia Federal havia encontrado “remanescentes humanos” no local das buscas por Bruno e Dom, na região do Vale do Javari, na Amazônia.

Dom Phillips, colaborador do jornal britânico The Guardian, e Bruno Araújo Pereira estavam desaparecidos desde o último dia 5, quando foram vistos pela última vez na região.

PUBLICIDAD

Eduardo Alexandre Fontes, superintendente da Polícia Federal do Amazonas, disse que Amarildo teria confessado participação no crime “voluntariamente” na noite de terça-feira (14). Na manhã de hoje, as equipes saíram acompanhadas de Amarildo, que narrou detalhes do crime e apontou o local onde os corpos foram enterrados.

Fontes disse que “remanescentes humanos” foram encontrados em uma área de difícil acesso e cerca de 3,1 quilômetros de mata adentro e que o material passará por identificação em Brasília, pelo Instituto Nacional de Criminalística. De acordo com o delegado Guilherme Torres, 26,40 quilômetros quadrados foram percorridos, em distância fluvial que equivale a 70 km de navegação.

PUBLICIDAD

De acordo com a PF, não é possível ainda dizer a motivação do crime, mas “prisões podem acontecer a qualquer momento”. Além de Amarildo, Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como “Dos Santos”, também está detido, mas a PF diz que ele não confessou envolvimento no crime. Amarildo citou uma terceira pessoa envolvida no assassinato que está sob investigação, segundo a PF.

Repercussão

Ontem (15), o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse estar “profundamente preocupado” com o que poderia ter acontecido com o jornalista britânico Dom Phillips. Nos últimos dias, jornais do mundo inteiro também repercutiram o desaparecimento de Dom e Bruno,

Na última sexta-feira (10), uma porta-voz da ONU, Ravina Shamdasani, fez um apelo ao governo brasileiro por mais esforços para encontrar os dois. Na ocasião, ela ressaltou também um temor sobre que definiu como constantes ataques a defensores de direitos humanos, ambientalistas e jornalistas no Brasil.

PUBLICIDAD

Na última semana, durante a Cúpula das Américas, que teve entre os convidados o presidente Jair Bolsonaro, protestos contra o desaparecimento aconteceram pela cidade de Los Angeles.

Em entrevista a um canal de YouTube nesta semana, Bolsonaro afirmou que Phillips não seria “bem visto” na região por escrever reportagens denunciando garimpeiros.

PUBLICIDAD

– Esta notícia foi traduzida por Melina Flynn, Content Producer da Bloomberg Línea.

Leia também

PUBLICIDAD

Venezuela: país socialista agora tem cassinos e Ferraris

Bolsonaro: há indícios de que houve ‘maldade’ a desaparecidos na Amazônia

Últimas BrasilJair BolsonaroAmazônia
Melina Flynn

Melina Flynn

Melina Flynn é jornalista naturalizada brasileira, estudou Artes Cênicas e Comunicação Social, e passou por veículos como G1, RBS TV e TC, plataforma de inteligência de mercado, onde se especializou em política e economia, e hoje coordena a operação multimídia da Bloomberg Linea no Brasil.

PUBLICIDAD