Startups

Kavak, startup mais valiosa da América Latina, realiza cortes no Brasil

Pelo menos 50 pessoas foram demitidas no país pela startup de compra e venda de carros usados, segundo depoimentos à Bloomberg Línea

Kavak no Brasil: startup vem demitindo funcionários em momento do mercado chamado de "inverno tech"
09 de Junho, 2022 | 10:28 AM

Bloomberg Línea — O chamado “inverno tech” começou a impactar a Kavak, plataforma mexicana de venda de carros usados e unicórnio com valuation superior a US$ 8 bilhões, o que a torna a startup mais valiosa da América Latina entre as que têm capital fechado. Há relatos de demissões dentro de suas operações no Brasil.

PUBLICIDAD

De acordo com depoimentos de ex-funcionários compilados pela Bloomberg Línea, pelo menos 50 pessoas deixaram a empresa em um processo que vem sendo realizado há várias semanas.

As demissões, tanto nos escritórios de São Paulo como na chamada “Cidade Kavak” no Rio de Janeiro, ocorreram alguns meses depois que a empresa confirmou um compromisso de investimento de US$ 500 milhões na maior economia da América Latina.

PUBLICIDAD

A Bloomberg Línea entrou em contato com executivos da Kavak tanto no México como no Brasil, mas eles não quiseram comentar.

Vários usuários no LinkedIn associados à Kavak postaram sobre os desligamentos, e a Bloomberg Línea validou essa relação com a empresa após verificar com fontes familiarizadas.

PUBLICIDAD

Alguns ex-funcionários disseram à Bloomberg Línea que a maneira como foram desligados da empresa não foi a ideal segundo a sua avaliação.

Foi de forma fria e sem justificativa real”, disse um ex-funcionário, que pediu anonimato devido ao fato de que eles estão considerando entrar em uma ação judicial contra a startup.

Outro ex-funcionário disse à Bloomberg Línea que a justificativa da empresa foi a de que eles não “se enquadravam na cultura de trabalho” da Kavak.

PUBLICIDAD

Outros depoimentos indicam que as demissões no Brasil vêm ocorrendo desde março deste ano.

Em entrevista em maio, o COO (executivo-chefe de Operações) Federico Ranero disse à Bloomberg Línea que a equipe brasileira é importante para a operação, mas ressaltou que “a Kavak não é para todos. Esta é uma empresa muito exigente, na qual não podemos comprometer um desempenho mediano ou relativo ao que está acontecendo no mercado, porque temos que fazer algo diferente. Trata-se de fazer grandes exigências à equipe para atingir metas cada vez mais altas”.

PUBLICIDAD

Um ex-funcionário da Kavak na cidade mexicana de Querétaro disse à Bloomberg Línea que os processos de contratação não eram suficientemente rigorosos e que alguns funcionários eram contratados com perfis que não atendiam aos requisitos, o que resultou em uma constante rotatividade e casos de burnout entre os funcionários.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

PUBLICIDAD

Leia também

Um milhão de bolsas, carteira digital e ESG: o plano do Google na América Latina

KavakBloomberg LíneaÚltimas BrasilTechStartup
Isabela  Fleischmann

Isabela Fleischmann

Jornalista brasileira especializada na cobertura de tecnologia, inovação e startups

Alejandro Ángeles

Alejandro Ángeles

Periodista con más de 20 años de experiencia en medios digitales e impresos. Ha trabajado para medios como Forbes México, New York Times, Yahoo, HuffPost, Milenio, El Universal y CNNMéxico, así como Grupo Expansión. Estudió Letras Inglesas en la UNAM.

Yanin Alfaro (BR)

Yanin Alfaro (BR)

Jornalista com experiência em startups e tecnologia

PUBLICIDAD