Mercados

Mercado liga ‘modo cautela’ e recua antes de fala de Powell no Congresso

Das bolsas europeias, passando pelos futuros de índices nos EUA, ouro e petróleo: todos operam no vermelho. Só os bônus soberanos ganham valor

As variáveis que orientarão os mercados
22 de Junho, 2022 | 08:28 AM

Barcelona, Espanha — (Esta é a atualização da nota publicada originalmente às 7h00)

PUBLICIDAD

Olhos e ouvidos atentos, hoje tem pronunciamento de Jerome Powell. O presidente do Federal Reserve (Fed) se tornou o centro das atenções no mercado financeiro global desde que o banco central apontou para um giro em sua política monetária. A brandura do passado deu lugar a ações enérgicas, como aplicar o maior aumento de taxas nos EUA desde 1994. Tudo para debelar a maior inflação em quatro décadas.

🔴 Hoje, na dúvida sobre se o depoimento de Powell no Senado virá com surpresas na ofensiva contra a inflação, os investidores se retraem e derrubam os mercados de renda variável.

PUBLICIDAD

Em meio a preocupações em torno de uma eventual recessão, retornam as apostas em títulos do governo e moedas de refúgio seguro. Os títulos europeus exibiram prêmios mais baixos, rompendo, assim, dois dias de perdas. Os rendimentos dos títulos dos EUA de dois anos chegaram a baixar até 10 pontos base.

→ Fatores que movem os mercados

🗣️ Foco no Powell. Entre hoje e amanhã, o mandatário do Fed dará aos congressistas explicações sobre suas ações à frente do banco central norte-americano. Também falará da situação da maior economia do mundo. A pressão dos políticos será evidente e Powell terá o desafio de transmitir o equilíbrio perfeito entre tranquilidade e pulso firme.

PUBLICIDAD

👀 Ver para agir. Diante da fala de Powell, o mercado opta pela cautela. Não há consenso sobre o impacto das subidas de juros sobre a economia - muitos temem por uma recessão. Cada vez mais, diminuem as expectativas de que os bancos centrais consigam fazer um pouso suave neste ambiente de aperto monetário.

⛈️ Prognósticos pessimistas. O ceticismo predomina e enevoa as perspectivas para os ativos de risco em um ano de queda acentuada nos mercados. Os estrategistas do Morgan Stanley e do Goldman Sachs Group alertaram que as ações podem cair ainda mais.

🇪🇺 Na Europa… Especialistas em economia europeia concordam que a incerteza aumentou, mas não esperam que o continente sofra uma estagflação semelhante à dos anos 70, caracterizada pelo rápido aumento dos preços em meio a uma produção estável ou contracionista, de acordo com uma pesquisa do Banco Central Europeu divulgada hoje.

PUBLICIDAD

Enquanto as previsões de crescimento foram reduzidas e as expectativas de preços aumentaram após a invasão russa da Ucrânia, a atividade econômica ainda deve subir no próximo ano e a inflação deve cair para abaixo de 2% no segundo semestre de 2023, diz o relatório.

🐎 Mas a inflação ainda galopa. No Reino Unido, a inflação se acelerou para uma nova alta de quatro décadas e está se espalhando para além dos custos de energia, mostram dados divulgados esta manhã. Os preços ao consumidor subiram 9,1% em maio, atingindo uma nova alta de 40 anos. Enquanto os preços do gás natural e da eletricidade continuaram a se destacar, seguidos de alimentos, combustíveis, roupas e móveis.

PUBLICIDAD

→ Leia o Breakfast, uma newsletter da Bloomberg Línea: Fórmulas de titãs para investir com inflação e juros altos

Mercado cauteloso antes de discurso de Powell ante o Congressodfd
🟢 As bolsas ontem: Dow Jones Industrial (+2,15%), S&P 500 (+2,45%), Nasdaq Composite (+2,51%), Stoxx 600 (+0,35%), Ibovespa (-0,17%)

As ações tiveram nova jornada de respiro, depois da venda massiva da semana passada em reação a um discurso mais duro do Fed. O sentimento desta semana é ajudado pelos comentários otimistas do presidente Joe Biden de que uma recessão norte-americana poderia ser evitada. Porém, as perspectivas continuam turvas para os investidores, que avaliam se o mercado chegou ou não ao fundo do poço.

PUBLICIDAD

Na agenda

Esta é a agenda prevista para hoje:

EUA: Testemunho semestral do presidente do Fed Jerome Powell no Senado. Pedidos de Hipotecas MBA; Pedidos de Refinanciamento Hipotecário; Estoques de Petróleo Bruto Semanal API

Europa: Zona do Euro (Confiança do Consumidor/Jun); Reino Unido (IPC e IPP/Mai; Índice de Preços no Varejo/Mai)

PUBLICIDAD

• Ásia: Japão (PMI Industrial e de Serviços/Jun)

América Latina: Argentina (Balança Comercial/Mai)

PUBLICIDAD

Bancos centrais: Minuta de política monetária do Banco do Japão (BoJ). Reunião de política não monetária do BCE. Discursos de Luis de Guindos e Frank Elderson (BCE), Sabine Mauderer (Bundesbank), Patrick Harker e Thomas Barkin (FOMC/Fed)

📌 Para a semana:

Quinta-feira: Powell se pronuncia ante a Câmara dos Representantes. Pedidos Iniciais de Seguro-Desemprego. PMIs para a Zona Euro, França, Alemanha, Reino Unido e Austrália. Boletim econômico do BCE

Sexta-feira: Confiança do consumidor dos EUA medido pela Universidade de Michigan dos EUA

MercadosÚltimas BrasilEuropaEstados UnidosNo radar dos mercadosBloomberg Línea
Michelly Teixeira

Michelly Teixeira

Jornalista com mais de 20 anos como editora e repórter. Em seus 12 anos de Espanha, trabalhou na Radio Nacional de España/RNE e colaborou com a agência REDD Intelligence. No Brasil, passou pelas redações do Valor, Agência Estado e Gazeta Mercantil. Tem um MBA em Finanças, é pós-graduada em Marketing e cursa um mestrado em Digital Business na Esade.

PUBLICIDAD