Mercados

Mercados no azul em dia de feriado para os negócios à vista em NY

Bolsas europeias e contratos futuros de índices dos EUA sobem; agenda macroeconômica do dia será tranquila e, para a semana, destaque é o testemunho de Powell ao Congresso

As variáveis que orientarão os mercados
20 de Junho, 2022 | 06:45 AM

Barcelona, Espanha — Hoje os mercados à vista nos Estados Unidos estarão fechados por feriado e, para a semana, a agenda macroeconômica não tem previstos indicadores “bombásticos”. O destaque da agenda dos mercados será o comparecimento do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, ante o Congresso (quarta e quinta-feira).

PUBLICIDAD

🗣️ Efeito-Powell. Ele dará aos congressistas explicações sobre suas ações à frente do banco central norte-americano e sobre a situação econômica, algo que deve inspirar cautela aos mercados. Qualquer declaração do mandatário do Fed será ouvida com máxima atenção. O Fed está determinado em frear a inflação com o uso das taxas de juros. Na semana passada, aplicou ao custo do dinheiro o maior aumento de taxas nos EUA desde 1994.

🚨 O dilema. Ainda que a determinação em conter a inflação galopante seja bem-vinda pelo mercado, acende o sinal de alerta porque subidas muito intensas dos juros desferem um golpe para bolsas e bônus e podem esfriar a economia excessivamente rápido, provocando eventualmente uma recessão.

PUBLICIDAD

💶 A dívida europeia no foco. Na Europa, as bolsas acompanham hoje o pronunciamento da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, que terá de responder ao Parlamento Europeu perguntas sobre os mecanismos da autoridade monetária para evitar a fragmentação no mercado de dívida do bloco.

O BCE articula medidas para compensar o aumento do prêmio de risco dos países mais vulneráveis a um encarecimento da dívida europeia, como Itália, Grécia e Espanha, ou inclusive para amortecer o efeito de uma eventual venda maciça de títulos.

PUBLICIDAD

→ Leia o Breakfast, uma newsletter da Bloomberg Línea: Petrobras na mira do poder

Um panorama da manhãdfd
🟢 As bolsas na sexta-feiraDow Jones Industrial (-0,13%), S&P 500 (+0,22%), Nasdaq Composite (+1,43%), Stoxx 600 (+0,09%), Ibovespa (-2,90%)

Os mercados acionários dos EUA tomaram um respiro no fechamento em meio a uma sessão volátil, pois os investidores continuaram a pesar a possibilidade de uma recessão na maior economia do mundo. O S&P 500 oscilou entre perdas e ganhos durante a sessão e, apesar de terminar o dia no azul, encerrou a semana em seu nível mais baixo desde janeiro de 2021 e terminou com o maior declínio semanal desde março de 2020. Também pesou na sessão o vencimento de opções no evento trimestral conhecido como “Triple Witching”, quando três classes de ativos expiram simultaneamente.

➡ Leia também: Ata do Copom e Powell no Congresso: 5 eventos para o mercado na próxima semana

PUBLICIDAD

Na agenda

Esta é a agenda prevista para hoje:

Feriados: Estados Unidos (Juneteenth), Argentina, Colômbia

Europa: Zona do Euro (Produção do Setor de Construção/Abr); Alemanha (IPP/Mai)

PUBLICIDAD

América Latina: Brasil (Boletim Focus); México (Gastos Privados, Demanda Agregada/1T22)

Bancos centrais: Discursos de Christine Lagarde (presidente do BCE), James Bullard (FOMC/Fed), Joachim Nagel (presidente do Bundesbank, o banco central da Alemanha), Philip Lane (BCE), Fabio Panetta (BCE). Relatório mensal do Bundesbank

PUBLICIDAD

📌 Para a semana:

Quarta-feira: Testemunho semestral do presidente do Fed Jerome Powell no Senado. Minuta de política monetária do Banco do Japão (BoJ)

Quinta-feira: Powell se pronuncia ante a Câmara dos Representantes. Pedidos Iniciais de Seguro-Desemprego. PMIs para a Zona Euro, França, Alemanha, Reino Unido e Austrália. Boletim econômico do BCE

Sexta-feira: Confiança do consumidor dos EUA medido pela Universidade de Michigan dos EUA

MercadosÚltimas BrasilEuropaEstados UnidosNo radar dos mercadosBloomberg Línea
Michelly Teixeira

Michelly Teixeira

Jornalista com mais de 20 anos como editora e repórter. Em seus 12 anos de Espanha, trabalhou na Radio Nacional de España/RNE e colaborou com a agência REDD Intelligence. No Brasil, passou pelas redações do Valor, Agência Estado e Gazeta Mercantil. Tem um MBA em Finanças, é pós-graduada em Marketing e cursa um mestrado em Digital Business na Esade.

PUBLICIDAD