Internacional

Navio carregado com milho ucraniano consegue sair pela Romênia

Ajuda oferecida por países vizinhos começa a funcionar, embora os obstáculos logísticos ainda sejam abundantes

As próximas colheitas da Ucrânia serão menores do que o normal por causa da guerra
Por Megan Durisin
29 de Abril, 2022 | 03:29 PM

Bloomberg — Uma quantidade suficiente de grãos saiu da Ucrânia para encher um navio de exportação na vizinha Romênia, marcando um pequeno, mas importante, primeiro passo para aliviar o acúmulo de safras que a guerra deixou parada em casa.

PUBLICIDAD

O navio panamax Unity N partiu nesta sexta-feira (29) do porto de Constanta, carregado com 71.000 toneladas de milho ucraniano, disse Viorel Panait, diretor geral da Comvex, que opera dois terminais no local. Ele está com destino à Espanha e mais cargas estão planejadas para o início e meados de maio, disse ele por telefone.

A invasão da Ucrânia pela Rússia fechou a maioria dos portos do país. Isso foi um grande golpe para seu setor agrícola, que normalmente envia cerca de 5 milhões a 6 milhões de toneladas de grãos por mês para a Ásia, África e Europa. A desaceleração de um dos maiores fornecedores de grãos e óleo vegetal do mundo despertou preocupações de um agravamento da crise global da fome, e nações próximas, como a Bulgária, a Romênia e a Lituânia, prometeram ajudar a aliviar a crise.

PUBLICIDAD

“Precisamos ajudar e queremos fazê-lo”, disse Panait.

A carga que sai da Romênia mostra que esses movimentos estão funcionando, embora os obstáculos logísticos ainda sejam abundantes. Por exemplo, os tamanhos das ferrovias diferem entre a Ucrânia e a União Europeia, exigindo que os vagões troquem as rodas ou descarreguem na fronteira. Demorou cerca de três semanas para acumular grãos ucranianos suficientes por meio de trens e barcaças para a carga inicial, disse Panait. Essa velocidade está melhorando, enquanto é necessário mais desenvolvimento de infraestrutura.

PUBLICIDAD

As próximas colheitas da Ucrânia serão menores do que o normal por causa da guerra, mas o país ainda tem milhões de toneladas da safra do ano passado para vender. Os embarques de safras por via férrea em abril estão operando com cerca de metade da capacidade máxima, totalizando cerca de 10% do comércio marítimo típico, mostram dados do Clube de Agronegócios da Ucrânia.

Sem um aumento nos volumes, os agricultores não terão fundos para sementes e outros insumos necessários para os próximos plantios de safras de inverno, que começam no final do verão. Isso corre o risco de reduzir as colheitas dos principais produtos básicos, como o trigo, também em 2023, disse Kateryna Rybachenko, executiva-chefe do agronegócio Agro-Region Ukraine, em um webinar na quinta-feira.

Leia também

PUBLICIDAD

Por que beber vinho brasileiro pode sair mais caro que rótulos importados

Vale a pena? Bancos cobram taxas de até 3% por fundo de uma única ação

Últimas BrasilMilhoUcrânia
PUBLICIDAD