Mercados

Petrobras registra lucro robusto e anuncia dividendos adicionais

Bolsonaro pediu que a estatal congele preços da gasolina e do diesel, acrescentando que seus lucros são inaceitáveis durante uma crise

A gigante do petróleo do Brasil reajustou os preços em março, mas está vendendo combustível abaixo das taxas internacionais novamente
Por Mariana Durao
06 de Maio, 2022 | 08:53 am

Bloomberg — A Petrobras (PETR4) (PETR3) apresentou bons resultados no primeiro trimestre graças ao crescimento da produção de petróleo durante o rali deste ano, provocando uma repreensão do presidente Jair Bolsonaro, que quer conter os preços dos combustíveis antes das eleições de outubro.

PUBLICIDAD

Bolsonaro pediu que a Petrobras congele os preços da gasolina e do diesel na quinta-feira (5), acrescentando que seus lucros são inaceitáveis durante uma crise. O recém-eleito presidente-executivo José Mauro Coelho será posto à prova à medida que aumenta a diferença entre os preços de entrada das refinarias da Petrobras e os níveis internacionais.

O maior produtor de petróleo da América Latina anunciou R$ 48,5 bilhões em dividendos adicionais a serem pagos em 2022, que correspondem principalmente aos resultados do primeiro trimestre. Supera os R$ 44,56 bilhões que registrou no lucro líquido do período.

PUBLICIDAD

“Olhe para o lucro abusivo”, disse Bolsonaro em uma transmissão semanal no Facebook, acrescentando que não pode interferir na forma como a Petrobras define os preços. “Peço que a Petrobras seja responsável e não aumente o preço do diesel.”

A gigante do petróleo do Brasil reajustou os preços em março, mas está vendendo combustível abaixo das taxas internacionais novamente, aumentando a preocupação entre os investidores que a viram passar de produtor de petróleo mais endividado do mundo a uma vaca leiteira nos últimos cinco anos. Em comunicado, a Petrobras disse que preços artificialmente baixos podem dificultar a importação de combustíveis e resultar em desabastecimento no mercado doméstico. Disse também que a sociedade brasileira é a principal beneficiária de seus lucros.

PUBLICIDAD

A Petrobras reportou lucro ajustado antes dos itens, uma medida de lucratividade, de R$ 77,71 bilhões, superando a estimativa média de analistas de R$ 74,4 bilhões compilada pela Bloomberg, de acordo com o balanço divulgado na quinta-feira (5).

Depois de anos subsidiando a gasolina para conter a inflação, em 2016 a Petrobras adotou uma política de acompanhar os preços internacionais, protegendo os consumidores da volatilidade de curto prazo. A mudança causou muito drama.

Desde então, três dos CEOs da empresa perderam seus empregos em meio a disputas de preços de combustível. A lista inclui o antecessor de Coelho, Joaquim Silva e Luna, deposto pelo presidente Jair Bolsonaro após levantar combustível em resposta à guerra na Ucrânia, embora a Petrobras tenha atrasado o ajuste em mais de dois meses.

PUBLICIDAD

“O principal risco de curto prazo da Petrobras é se haverá uma mudança na política de preços”, disse Fernando Valle, analista de ações da Bloomberg Intelligence que cobre a Petrobras. Ele destacou que a empresa demorou a repassar os custos de combustível mais altos aos consumidores no primeiro trimestre.

Coelho prometeu manter os preços dos combustíveis baseados no mercado quando assumiu o comando, mas não está claro o que acontecerá com essa política após as eleições de outubro. Tanto Bolsonaro quanto seu principal adversário, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, se manifestaram contra os aumentos dos preços dos combustíveis, e o Congresso está revisando projetos de lei que visam limitar a volatilidade.

PUBLICIDAD

Em comunicado na quinta-feira, o novo CEO prometeu continuar produzindo resultados sólidos.

“Com nosso portfólio resiliente aos baixos preços do petróleo, as perspectivas de crescimento da produção e a continuidade da gestão do portfólio, estamos convencidos de que entregaremos cada vez mais resultados para a sociedade”, afirmou.

PUBLICIDAD

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDAD

Balanços Itaú, BB, JBS, Minerva; Eve se une à Zenite: Radar SA

Cinco coisas que você precisa saber para começar o dia

Últimas BrasilPetrobras
PUBLICIDAD