PUBLICIDAD
PUBLICIDAD
Mercados

Petróleo oscila com investidores pesando proibição de petróleo do G-7

Líderes do grupo de países mais industrializados fizeram a promessa de corte em resposta à guerra do presidente Vladimir Putin na Ucrânia

O WTI para entrega em junho caía 0,3%, para US$ 109,47 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York às 5h34, horário de Brasília
Por Elizabeth Low
09 de Maio, 2022 | 06:15 am

Bloomberg — Os preços do petróleo oscilavam enquanto os investidores avaliavam a promessa do G-7 de proibir as importações de petróleo russo contra um corte nos preços oficiais pela Arábia Saudita e o impacto na energia dos lockdowns da China.

PUBLICIDAD

O West Texas Intermediate era negociado abaixo de US$ 110 por barril, depois de perder até 1,7%. Os líderes do grupo de países mais industrializados fizeram a promessa de corte em resposta à guerra do presidente Vladimir Putin na Ucrânia depois de realizar uma videochamada com o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy no domingo (8). Um plano semelhante da União Europeia, ou UE, ainda não foi acordado por oposição da Hungria.

A Arábia Saudita cortou os preços para compradores na Ásia, com os lockdowns por conta do coronavírus na China pensando sobre o consumo no principal importador. A estatal Saudi Aramco baixou os preços pela primeira vez em quatro meses, reduzindo sua principal rede Arab Light para os fluxos do próximo mês para US$ 4,40 o barril acima do valor de referência que usa.

PUBLICIDAD

O petróleo teve um ano tempestuoso após a invasão russa de seu vizinho menor derrubar os mercados globais de commodities, elevando os preços. Os EUA e o Reino Unido já decidiram proibir as importações de combustível russo em resposta ao ataque, mas a promessa de fim de semana do G-7 deve aumentar ainda mais a pressão sobre Moscou. Os preços das matérias-primas também foram atingidos à medida que os principais bancos centrais, incluindo o Federal Reserve dos EUA, endurecem a política para conter um poderoso aumento da inflação.

“Espere algum recuo nos preços enquanto a UE luta para obter unanimidade sobre a proibição do petróleo russo”, disse Vandana Hari, fundadora da empresa de análise de petróleo Vanda Insights. A desvantagem pode ser limitada, no entanto, à medida que o bloco continua com seus esforços para chegar a um consenso, mantendo o mercado em suspense, acrescentou ela.

PUBLICIDAD

A resiliência do petróleo na sessão de abertura da semana ocorreu apesar de uma mudança em direção à aversão ao risco nos mercados financeiros e um ganho adicional para a moeda dos EUA, em meio a preocupações com o crescimento. Um dólar mais forte pode minar a demanda por commodities como petróleo, pois torna as matérias-primas mais caras para os compradores estrangeiros.

Preços do petróleo

  • O WTI para entrega em junho caía 0,3%, para US$ 109,47 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York às 5h34, horário de Brasília.
  • O Brent para liquidação em julho recuava 0,2%, para US$ 112,18 o barril na bolsa ICE Futures Europe.

Os líderes do G-7 assumiram o compromisso de eliminar gradualmente o petróleo russo na véspera do Dia da Vitória da Rússia, em 9 de maio, que comemora o papel do país no triunfo sobre a Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial. A data tornou-se um marco na campanha do Kremlin para angariar apoio público à invasão.

“É uma decisão extremamente difícil para um país que importa a maior parte de sua energia”, disse o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida. “Mas este é um momento em que a unidade do G-7 é mais importante do que qualquer coisa.”

PUBLICIDAD

O plano da UE de seguir o exemplo com sua própria proibição do petróleo russo permanece em discussão em meio a objeções de Budapeste. Uma reunião dos 27 embaixadores do bloco terminou no domingo sem um acordo, com as negociações previstas para serem retomadas nos próximos dias. A proibição do envio de petróleo russo para terceiros países também pode ser adiada até que os países do G-7 se comprometam com medidas semelhantes.

As repetidas tentativas da China de interromper os surtos de Covid-19 com lockdowns de centros urbanos, incluindo o principal centro de Xangai, reduziram o consumo de energia. Destacando os danos econômicos, o primeiro-ministro Li Keqiang alertou no fim de semana para uma situação de emprego “complicada e séria”.

PUBLICIDAD

Ainda assim, os mercados de petróleo permanecem em retrocesso, um padrão de alta marcado por preços de curto prazo comandando um prêmio para aqueles mais distantes. O spread entre os dois contratos de dezembro mais próximos do Brent estava em US$ 13,75 o barril, próximo ao nível visto nas primeiras semanas após o início da invasão da Rússia.

Leia também

Quem é o braço direito de Musk, que administra a maior fortuna do mundo

Últimas BrasilPetróleo