Mercados

Powell diz que Fed vai ‘continuar agindo’ até que a inflação caia

Presidente do Fed disse que a economia está bem posicionada para resistir a uma política monetária menos acomodatícia

Powell disse que a reação nos mercados financeiros mostrou que os investidores estavam entendendo a mensagem do Fed
Por Craig Torres e Matthew Boesler
17 de Maio, 2022 | 03:47 PM

Bloomberg — O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, disse que ninguém deve duvidar da determinação do banco central dos Estados Unidos de conter a inflação mais alta em décadas, incluindo levar as taxas para território restritivo, se necessário.

PUBLICIDAD

“O que precisamos ver é a inflação caindo de maneira clara e convincente e vamos continuar agindo até vermos isso”, disse ele nesta terça-feira (17) durante um evento do Wall Street Journal. “Se isso envolver ultrapassar os níveis de neutralidade amplamente entendidos, não hesitaremos em fazer isso.”

O BC dos EUA aumentou as taxas de juros em meio ponto em sua reunião no início deste mês e Powell disse que duas medidas semelhantes estavam em discussão em junho e julho. A meta para a taxa de empréstimo de referência atualmente está na faixa de 0,75% a 1%. Ele repetiu essa orientação hoje, observando que “se a economia funcionar como esperamos, isso é algo que estará na mesa”.

PUBLICIDAD

Os preços ao consumidor nos EUA subiram 8,3% nos 12 meses até abril, de acordo com dados do Departamento do Trabalho publicados em 11 de maio. O registro foi ligeiramente inferior ao aumento de 8,5% nos 12 meses até março, que marcou a maior taxa de inflação em 40 anos.

A demanda doméstica continua forte, embora as condições financeiras tenham se tornado mais apertadas depois que vários membros do Fed disseram que querem levar as taxas para nível neutro até o final do ano, que eles veem em torno de 2,5%.

PUBLICIDAD

“Esta é uma economia forte e achamos que está bem posicionada para resistir a uma política monetária menos acomodatícia, uma política monetária mais apertada”, disse Powell.

O índice S&P 500 acumula queda de cerca de 15% desde o pico de janeiro, enquanto os rendimentos das notas de 10 anos do governo estão em torno de 2,96%, acima dos 1,5% no início do ano.

Condições financeiras

O aumento dos rendimentos de longo prazo está elevando os custos dos empréstimos para habitação - um dos setores da economia mais sensíveis às taxas de juros que o Fed gostaria de ver em um nível bom o suficiente para ajudar a conter as pressões sobre os preços. A valor de uma hipoteca de taxa fixa de 30 anos ficou acima de 5,4% na semana passada, um pouco mais de 2 pontos percentuais desde o início do ano, de acordo com a média nacional monitorada pelo Bankrate.com.

PUBLICIDAD

Powell disse que a reação nos mercados financeiros mostrou que os investidores estavam entendendo a mensagem do Fed.

“Gostamos de trabalhar com as expectativas e não estou contemplando as leituras de nenhum dia em particular, mas foi bom ver os mercados financeiros reagindo antecipadamente com base na maneira como estamos falando sobre a economia.”

PUBLICIDAD

Mas a economia forte tem sido boa para os trabalhadores. O desemprego recuou para 3,6%, e os salários e benefícios estão aumentando. Autoridades do Fed dizem que podem reduzir a demanda por mão de obra sem aumentar o desemprego, um feito que não foi visto nas duas últimas recessões.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDAD

Leia também

Gestores reduzem apostas para o Ibovespa em 2022, mostra pesquisa do BofA

Investidores estão com dinheiro em caixa no maior nível desde o 11 de Setembro

Últimas BrasilJerome PowellFED
PUBLICIDAD