Internacional

Promessa de Xi de impulsionar economia é recebida com ceticismo

Insistência do governo em manter estratégia Covid Zero e, logo, os lockdowns, pode conter crescimento do país em 2022

Líderes da China prometeram aumentar estímulos para a economia à medida que a pandemia ameaça o crescimento
Por Bloomberg News
29 de Abril, 2022 | 02:50 PM

Bloomberg — Os principais líderes da China prometeram nesta sexta-feira (29) atingir a meta de crescimento econômico deste ano, ao mesmo tempo em que mantêm uma estratégia Covid Zero que colocou as principais cidades em lockdown. Os economistas duvidam que eles possam fazer as duas coisas.

PUBLICIDAD

Liderado pelo presidente Xi Jinping, o Politburo de 25 membros do Partido Comunista disse que “a Covid deve ser contida e a economia deve ser estabilizada”, um reconhecimento de que os lockdowns de semanas no centro financeiro de Xangai e em outros lugares afetam o crescimento.

A declaração divulgada antes do fechamento da bolsa, o que não é usual, parecia destinada a dar um apoio aos mercados abatidos do país antes de um feriado prolongado.

PUBLICIDAD

Reiterando a promessa de Xi de se concentrar na infraestrutura, o Politburo disse que as autoridades devem “não perder tempo planejando mais ferramentas políticas” para fortalecer a economia. O índice CSI 300 subiu 2,4% na sexta-feira, obtendo um pequeno ganho semanal pela primeira vez este mês, enquanto o yuan se fortaleceu no mercado externo em uma reversão em relação ao início do dia.

Mas, apesar da reação positiva dos mercados, o comunicado não deu detalhes sobre estímulos fiscais ou flexibilização monetária que poderiam revigorar a segunda maior economia do mundo. Economistas preveem crescimento do PIB de apenas 4,9% este ano, bem abaixo da meta do governo de cerca de 5,5%.

PUBLICIDAD

“Essas medidas de flexibilização, mesmo em larga escala, podem não atingir o impacto pretendido devido a lockdowns e interrupções logísticas como resultado da estratégia Covid Zero”, disseram Lu Ting e outros economistas do Nomura em nota na sexta-feira.

Os objetivos conflitantes mostram um problema político crescente para Xi durante um ano em que se espera que ele garanta um terceiro mandato sem precedentes. Seu governo há muito alardeia a política Covid Zero da China como moralmente superior às políticas dos Estados Unidos e da Europa, tornando difícil abandoná-la agora, mesmo que ponha em risco os objetivos econômicos do Partido Comunista e atrapalhe a vida das pessoas comuns.

Os principais especialistas em saúde também avisaram que o sistema de saúde da China ficaria sobrecarregado e as mortes aumentariam se a política de Covid fosse abandonada.

PUBLICIDAD
  dfd

Alguns investidores expressaram confiança de que Xi poderia encontrar uma maneira de atingir a meta de crescimento, apesar dos bloqueios.

As autoridades da China estão preparadas para continuar afrouxando a política monetária, adotar uma política fiscal mais favorável e facilitar a aplicação das regulamentações, disse Alexandre Treves, chefe de especialistas em investimentos para ações da Ásia-Pacífico no JPMorgan Asset Management.

PUBLICIDAD

“Essas são coisas que eles podem controlar ao mesmo tempo em que gerenciam o Covid Zero e atingem suas metas de crescimento”, disse ele. “Então, achamos que a probabilidade de estímulo é incrivelmente alta no momento.”

Outros disseram que a preocupação do Politburo com a economia sugere que a China afrouxará seus controles de vírus, apesar de pedidos para manter a vigilância contra a ômicron e outras variantes.

PUBLICIDAD
  Jilin, região que mais sofreu com o lockdown em março, teve contração de 5%dfd

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Últimas BrasilChinaCovidpandemia
PUBLICIDAD