Finanças pessoais

Third Point: é hora de captar a mensagem que o mercado passa, diz gestora

Para casa do investidor ativista Daniel Loeb, que tem US$ 17,3 bilhões sob gestão, momento desafiador exige adaptar o portfólio

Daniel Loeb, CEO e fundador da Third Point, uma das maiores gestoras de fundos hedge do mercado americano
25 de Maio, 2022 | 07:17 PM

Bloomberg Línea — O ambiente mais desafiador para investimento tem levado experientes gestores a colocar o pé no freio na alocação de recursos em ativos de risco e a mudar de estratégias para se adaptar ao cenário mais complexo, de alta inflação e juros em elevação.

PUBLICIDAD

“Não há um barulho de sino quando as regras do jogo estão mudando, mas, se você ouvir atentamente, poderá escutar o apito do cachorro. Este parece ser um momento para ouvir esse som mais agudo”, escreve Daniel Loeb, fundador e CEO da gestora Third Point, em carta trimestral enviada aos cotistas.

O famoso investidor ativista faz referência a uma expressão em inglês - dog whistle - que significa passar ou captar uma mensagem sutil que só pode ser compreendida por determinado grupo.

PUBLICIDAD

Fundada em 1995 em Nova York, a Third Point é uma das maiores gestoras de hedge funds dos Estados Unidos, com mais de US$ 17,3 bilhões em ativos sob gestão. Os hedge funds guardam semelhança com os fundos multimercados no Brasil e podem investir em diferentes classes de ativos.

No documento, o conhecido gestor afirma que, desde que começou a Third Point, há 27 anos, testemunhou muitos investidores (inclusive ele) tropeçarem após anos de sucesso porque não adaptaram seus modelos e estruturas com rapidez suficiente à medida que as condições mudaram.

PUBLICIDAD

Dito isso, diante do contexto atual, o gestor diz ter adotado uma postura significativamente mais defensiva na carteira durante o primeiro trimestre e em abril, refletindo as preocupações da casa sobre valuations no atual ambiente de subida de taxas de juros, incerteza geopolítica e fraqueza em importantes economias globais.

Hoje, a exposição líquida da Third Point é menor, e o poder de compra, maior do que em qualquer momento nos últimos 10 anos, segundo a carta. A exposição do patrimônio líquido ajustada pelo beta - que mede o risco do ativo em relação ao mercado - caiu de 75% no início do ano para 41% no final do primeiro trimestre e para 23% desde o início de maio.

Como parte dessa mudança na carteira, a casa saiu de várias grandes posições de ações e reduziu a exposição, de forma a proteger as mais voláteis. “Acreditamos também que a melhor defesa é um ataque forte. O caminho para eliminar os excessos no sistema financeiro será acidentado e criará claros vencedores e perdedores antes de atingirmos a ‘normalização’ (o que quer que isso signifique no ambiente de hoje)”, escreve Loeb.

PUBLICIDAD

“Isso o torna atraente para ações vendidas e, por isso, adicionamos nossos shorts de nome único durante o primeiro trimestre, substituindo algumas de nossas cestas e hedges de mercado”, completa o gestor.

No primeiro trimestre de 2022, o fundo Third Point Offshore Fund apresentou perdas de 11,5%, ante queda de 4,6% do índice S&P 500 e baixa de 5% do índice MSCI World.

PUBLICIDAD

Aposta em energia

Uma das principais apostas da Third Point na bolsa recai sobre empresas de energia e outras ações cíclicas - ou seja, ligadas à atividade econômica. No primeiro trimestre, a gestora iniciou posições em empresas de petróleo e gás natural, bem como em outras companhias de materiais que acredita que se beneficiarão da inflação, da escassez de oferta e da adoção de EV (veículos elétricos) e fontes renováveis de energia. Um dos grandes investimentos da gestora em 2021, por exemplo, foi a Shell (SHEL).

Com relação ao setor de tecnologia, Loeb reconhece que, mesmo após grandes declínios das ações, é difícil definir um fundo no segmento de alto crescimento e de altos valuations que é o de “tech”, principalmente porque “muitas dessas empresas contavam com remuneração baseada em ações e técnicas controversas de contabilidade e relatórios”.

PUBLICIDAD

“Parece que muitas das empresas que usaram esse tipo de remuneração para atrair funcionários podem ter dificuldades de retenção, levando a uma maior diluição para futuras concessões de ações ou aumento de salários em dinheiro. Isso pode pesar nas margens para analistas que confiam em medidas ajustadas. Tememos que a teoria da reflexividade de Soros entre em jogo se tal espiral acontecer”, conclui o fundador da Third Point.

Leia também:

PUBLICIDAD

Política de Covid Zero torna meta de crescimento da China quase impossível

Grandes empresas seguem investindo em startups da América Latina

Últimas BrasilBloomberg Líneagestoras de investimentosAçõesInvestimentos
Mariana d'Ávila

Mariana d'Ávila

Redatora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero, especializada em investimentos e finanças pessoais e com passagem pela redação do InfoMoney.

PUBLICIDAD