Internacional

UCRÂNIA: EUA intensificam ajuda com mais artilharia

Biden saudou a aprovação do Congresso de US$ 40 bilhões em ajuda para a Ucrânia e anunciou um novo pacote de armas

Avança o acordo de pedido de entrada da Finlândia e da Suécia à OTAN
Por Bloomberg News
19 de Maio, 2022 | 05:31 PM

Bloomberg — O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ofereceu seu “forte apoio” às propostas da Finlândia e da Suécia para ingressar na OTAN ao se encontrar com seus líderes em Washington. O secretário-geral da Otan disse estar esperançoso de que os pedidos possam ser aceitos em breve, apesar da oposição inicial do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

PUBLICIDAD

Biden saudou a aprovação do Congresso de US$ 40 bilhões em ajuda para a Ucrânia e anunciou um novo pacote de armas que ele disse que seria enviado “diretamente para as linhas de frente”.

Um alto funcionário do Kremlin disse que a Rússia pretende tomar todas as regiões de Donetsk e Luhansk da Ucrânia. Enquanto isso, a China está em negociações para comprar petróleo russo barato para reabastecer seus estoques estratégicos, enquanto a Europa trabalha para proibir o petróleo russo.

PUBLICIDAD

Últimas atualizações pelo horário de Brasília:

Biden anuncia US$ 40 bilhões em ajuda, oferece mais armas

O governo Biden anunciou US$ 100 milhões em assistência militar à Ucrânia, incluindo artilharia, radar e outros equipamentos, antes do pacote de ajuda à Ucrânia de US$ 40 bilhões enviado a ele pelo Congresso nesta quinta-feira (19).

PUBLICIDAD

Biden disse que o pacote “nos permitirá enviar ainda mais armas e munições para a Ucrânia, reabastecer nosso próprio estoque e apoiar tropas americanas em território da OTAN”. O Pentágono disse que o equipamento incluirá 18 obuses de 155MM, seus porta-aviões e três radares de contra-artilharia. O porta-voz do Departamento de Defesa, John Kirby, disse que a artilharia está se mostrando um equipamento “crítico” para as forças ucranianas. Ele disse que os US$ 100 milhões esgotam a autoridade de “remoção” existente dos estoques dos EUA.

As últimas remessas elevarão o valor total da assistência militar dos EUA fornecida à Ucrânia desde a invasão da Rússia para US$ 3,9 bilhões.

Ucrânia recebe 504 milhões de euros do Banco Mundial

A Ucrânia recebeu 504 milhões de euros (US$ 534 milhões) em doações do Banco Mundial, anunciou o Ministério das Finanças do país.

PUBLICIDAD

Os fundos, que incluem US$ 500 milhões dos EUA e 24 milhões de libras (US$ 30 milhões) do Reino Unido, serão usados para ajudar a cobrir gastos sociais, humanitários e de saúde e apoio a deslocados internos, disse o ministério.

Senado envia pacote de ajuda de US$ 40 bilhões à Ucrânia para Biden

O Senado dos EUA aprovou um pacote de ajuda à Ucrânia de mais de US$ 40 bilhões em uma votação bipartidária de 86 a 11, enviando a medida a Biden para sanção.

PUBLICIDAD

A legislação é significativamente maior do que o pacote de US$ 33 bilhões solicitado por Biden no mês passado, mas recebeu apoio esmagador. Embora alguns republicanos na Câmara e no Senado se opusessem a aumentar o déficit enviando mais dinheiro para o exterior ou criticassem a estratégia de Biden, a maioria apoiou o apelo do presidente democrata para apressar mais ajuda à Ucrânia.

“A mensagem que isso envia é que os Estados Unidos estão comprometidos, que vamos apoiar qualquer país que seja uma democracia quando houver uma autocracia que tente invadi-la”, disse o senador republicano Jim Risch, de Idaho. “Ronald Reagan passou oito anos derrubando a União Soviética e libertando os países em sua órbita. Não vamos abandonar o esforço que ele fez. Estamos todos dentro.”

PUBLICIDAD

Brass da OTAN dá boas-vindas a Suécia e Finlândia

O alto escalão militar da OTAN acolheu os pedidos de adesão da Suécia e da Finlândia, dizendo que os aspirantes a membros aumentariam a segurança da aliança devido à sua massa terrestre, capacidades modernas e já alto nível de integração com os aliados.

Questionado sobre o quão desafiador seria para a aliança defender as grandes áreas geográficas, arquipélagos e florestas dos dois países, o comandante aliado supremo da OTAN para a Europa, general norte-americano Tod Wolters, disse que “vemos esses atributos como oportunidades tremendas para melhorar nossa capacidade de dissuadir de forma abrangente”.

PUBLICIDAD

Com a Suécia e a Finlândia na aliança, eles também poderiam compartilhar táticas, técnicas e procedimentos em todos os domínios, como os aliados fariam com eles. “Existem aspectos regionais únicos sobre os quais eles têm mais experiência do que vimos no passado”, disse ele.

Chefe militar da Rússia fala por telefone com general dos EUA: Interfax

O principal oficial militar da Rússia, Valery Gerasimov, discutiu a guerra na Ucrânia por telefone com o general norte-americano Mark Milley, informou a Interfax, no primeiro contato direto conhecido entre os principais comandantes desde que Moscou enviou tropas para a Ucrânia em 24 de fevereiro.

PUBLICIDAD

A declaração do Ministério da Defesa citada pela Interfax não forneceu detalhes da conversa, além de dizer que ela foi feita por iniciativa dos EUA.

Na semana passada, o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, pediu um cessar-fogo imediato em sua primeira discussão desde a invasão com seu colega russo, Sergei Shoigu, disse o Pentágono em 13 de maio. Gerasimov, visto como um dos mais poderosos defensores da guerra na liderança russa, não foi visto em público recentemente.

PUBLICIDAD

Ucranianos retornam da Polônia

Os ucranianos continuam voltando da Polônia, disseram autoridades de fronteira polonesas no Twitter. Na quarta-feira (18), 28 mil pessoas foram liberadas para a Ucrânia enquanto outras 21.500 entravam na Polônia.

Desde a invasão da Rússia em 24 de fevereiro, 3,46 milhões de pessoas cruzaram a fronteira da Ucrânia para a Polônia, e as que se moveram na direção contrária chegaram a 1,39 milhão. Ao todo, 1,85 milhão de ucranianos retornaram ao seu país, de acordo com os últimos números da Organização das Nações Unidas (ONU), que diz que é cedo demais para tirar conclusões sobre tendências definitivas.

PUBLICIDAD

O governo ucraniano disse na quarta-feira (18) que o número de homens em idade militar que tentam deixar o país ilegalmente está crescendo.

Rússia relata morte em ataque próximo à fronteira

Pelo menos uma pessoa morreu e outras ficaram feridas em um ataque a uma região na fronteira com a Ucrânia, disse uma autoridade local no Telegram.

O governador de Kursk, Roman Starovoit, postou várias fotos mostrando os danos do ataque, que ele atribuiu ao “inimigo”. Áreas fronteiriças alegaram que forças ucranianas lançaram vários ataques em território russo. As autoridades ucranianas não comentaram o incidente.

Sanções permitem que Putin tenha mais tempo para pensar

Graças ao aumento dos preços das exportações de petróleo e gás, o Kremlin conseguiu estabilizar o rublo e limitar o impacto das sanções ocidentais à economia local.

No entanto, sinais de tensão estão se espalhando, desde as lojas fechadas de marcas estrangeiras que fugiram a pedidos de hipotecas e muitas altos impostos. Embora não digam isso publicamente, funcionários do Ministério das Finanças previram maior contração econômica este ano, à medida que as sanções privam as empresas de suprimentos, tecnologias e capital.

EUA confirmam nova embaixadora na Ucrânia

A votação do Senado para confirmar Bridget Brink como nova enviada a Kiev ocorreu depois que os EUA reabriram sua embaixada na capital da Ucrânia três meses depois de fechá-la.

“Hoje estamos retomando oficialmente as operações na Embaixada dos EUA em Kiev”, disse o secretário de Estado, Antony Blinken, em comunicado. “O povo ucraniano, com nossa ajuda militar e de segurança, defendeu sua pátria diante da invasão inescrupulosa da Rússia e, como resultado, a bandeira dos Estados Unidos está fincada na embaixada mais uma vez.”

Turquia diz que OTAN deve ‘justificar’ suas preocupações

O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, disse que os membros da OTAN têm conhecimento sobre as preocupações “justificadas” de segurança da Turquia, e pediu à aliança que faça mais por elas.

“É inaceitável que os membros ou aqueles que se candidatam à aliança apoiem grupos que nos têm como alvos”, disse Cavusoglu após se reunir com o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, em Nova York.

Cavusoglu disse que a Suécia está fornecendo armas ao grupo militante curdo YPG em nome do apoio à sua luta contra o Estado Islâmico, mas as mesmas armas estão sendo usadas para matar soldados e civis turcos.

ONU negocia liberação de grãos e fertilizantes russos

O secretário-geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, disse que está negociando com autoridades russas, norte-americanas, ucranianas e da União Europeia para dar “acesso irrestrito” de suprimentos russos aos mercados globais, já que a invasão da Ucrânia acabou por exacerbar a crise alimentar global.

Guterres disse em uma conferência ministerial sobre segurança alimentar em Nova York que há um “longo caminho a percorrer” nas negociações e que não entrará em detalhes “porque declarações públicas podem prejudicar as chances de sucesso”.

No mesmo evento, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse que é a “maior crise global de segurança alimentar do nosso tempo”, causada pela combinação da pandemia de covid-19, agravamento da crise climática e pela invasão da Rússia à Ucrânia. Blinken prometeu mais US$ 215 milhões em ajuda alimentar de emergência e pediu à Rússia que crie corredores seguros para a Ucrânia exportar alimentos por terra e também por mar. “Há uma estimativa de 22 milhões de toneladas de grãos em silos na Ucrânia agora”, disse.

Russos reduzem operações no leste da Ucrânia, dizem EUA

As forças russas no leste da Ucrânia estão reduzindo suas operações, concentrando-se em objetivos menores, como cidades, vilarejos e estradas, depois de não conseguirem fazer progressos significativos em seu ataque ao território na região, disse um alto funcionário da defesa dos EUA.

Segundo o funcionário, os russos continuam tendo problemas com a comunicação entre as unidades.

Economia russa desacelera mais do que o esperado

O crescimento econômico da Rússia desacelerou no primeiro trimestre do ano, quando o impacto inicial das sanções impostas após a invasão da Ucrânia pelo presidente Vladimir Putin começou a ganhar evidência.

O PIB do país subiu 3,5% em relação ao ano anterior, abaixo do ganho de 4% nos três meses imediatamente anteriores, informou o Serviço Federal de Estatísticas na quarta-feira (18), citando números preliminares.

A maioria dos resultados foi registrado antes de Putin enviar tropas para a Ucrânia em 24 de fevereiro, provocando amplas sanções dos EUA e de seus aliados. As sanções devem desencadear uma profunda recessão na Rússia, com a economia contraindo até 10% este ano, segundo o Banco Central.

A economia russa está prestes a sofrer uma forte contração devido às sanções impostas. Fonte: Serviço Federal de Estatísticas, com estimativa do BC da Rússiadfd

EU pretende usar ativos do Banco Central russo para a Ucrânia

A Comissão Europeia está explorando o uso de ativos congelados do Banco Central da Rússia, juntamente com os ativos de sanções que de oligarcas russos, na tentativa de ajudar na reconstrução da Ucrânia.

“Estamos fazendo uma avaliação legal”, disse o vice-presidente da Comissão, Valdis Dombrovskis, a repórteres.

“Legalmente devemos lançar essa rede porque há um princípio no direito internacional que o agressor paga, e devemos fazer a Rússia pagar pelos danos que está criando”, disse.

Últimas BrasilRússiaGuerra na UcrâniaUcrânia
PUBLICIDAD