PUBLICIDAD
PUBLICIDAD
Negócios

Elon Musk diz que reverteria a expulsão de Trump do Twitter

O bilionário e CEO da Tesla chegou a um acordo no final do mês passado para adquirir a rede social por cerca de US$ 44 bilhões

Elon Musk também colocou um pouco de dúvida sobre se o acordo, que tornaria o Twitter uma empresa de capital fechado, será aprovado
Por Kurt Wagner, Ed Ludlow y Dana Hull
10 de Maio, 2022 | 04:20 pm

Bloomberg — O Twitter (TWTR) foi “tolo ao extremo” ao expulsar o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de seu serviço, e proibições permanentes devem ser extremamente raras, disse Elon Musk, o bilionário que concordou em adquirir a empresa de mídia social.

“Eu reverteria a proibição permanentemente”, disse Musk nesta terça-feira (10) em uma conferência do Financial Times. “As proibições permanentes apenas prejudicam fundamentalmente a confiança no Twitter como uma praça da cidade onde todos podem expressar sua opinião.”

PUBLICIDAD

Expulsar o ex-presidente do site “não acabou com a voz de Trump”, disse Musk. “Isso vai ampliá-la entre a direita. É por isso que é moralmente errado e totalmente estúpido.”

“Minha opinião, e Jack Dorsey, quero deixar claro, compartilha essa opinião, é que não devemos ter banimentos permanentes”, disse Musk, referindo-se ao cofundador do Twitter e ex-CEO.

Dorsey twittou seu acordo, e os dois acrescentaram advertências de que comportamento ou extensão ilegal não seriam permitidos.

PUBLICIDAD

Musk, que chegou a um acordo para adquirir o Twitter por cerca de US$ 44 bilhões no final do mês passado, disse acreditar que a empresa com sede em São Francisco ultrapassou o policiamento da fala do usuário e quer empurrá-la para uma abordagem mais focada na liberdade de expressão.

Mas Musk também colocou um pouco de dúvida sobre se o acordo, que tornaria o Twitter uma empresa de capital fechado, será aprovado. Ele ainda está no processo de alinhar o financiamento necessário para concluir a transação.

“Eu ainda não possuo o Twitter, então isso não é algo que definitivamente vai acontecer”, disse ele. “E se eu não tiver o Twitter?”

PUBLICIDAD

Trump disse que não retornará ao serviço, mesmo que a proibição seja suspensa. Ele está apoiando sua própria empresa de mídia social, chamada Truth Social. Um porta-voz de Trump não respondeu imediatamente a um pedido de comentário da Bloomberg News sobre os comentários de Musk.

O juiz distrital dos EUA James Donato na semana passada rejeitou o recurso do ex-presidente à sua proibição permanente do Twitter. O juiz de São Francisco deu aos advogados de Trump a chance de revisar o processo e tentar novamente, mas alertou que eles terão que mostrar que o Twitter estava agindo como um censor do governo.

-- Com a colaboração de Mark Niquette.

PUBLICIDAD

Veja mais em bloomberg.com

Leia também:

Siderúrgicas afundam com notícia de redução de tarifa sobre aço

Lemann: ‘Na crise, empreendedores aceitam seus investimentos a um preço menor’

Últimas BrasilDonald TrumpElon MuskTwitter
PUBLICIDAD