Internacional

Lagarde se prepara para aperto do BCE com mais inflação recorde

Dados de inflação surgem no contexto de uma vigorosa discussão pública sobre as taxas de juros entre dirigentes do BCE

“Mesmo quando os choques de oferta desaparecem, é improvável que a dinâmica desinflacionária da última década retorne”, disse Lagarde na semana passada
Por Alessandra Migliaccio
30 de Maio, 2022 | 11:13 AM

Bloomberg — O debate do Banco Central Europeu sobre o quanto apertar a política monetária deve se intensificar esta semana antes de um período de silêncio pré-decisão, com expectativas de um novo recorde para a inflação.

PUBLICIDAD

Todos menos um economista consultado pela Bloomberg preveem uma aceleração na alta anual de preços na zona do euro, com a estimativa mediana em 7,8%.

Esses dados surgirão no contexto de uma vigorosa discussão pública sobre as taxas de juros entre dirigentes do BCE, cuja janela para falar antes da decisão de 9 de junho será encerrada na quinta-feira.

PUBLICIDAD

Enquanto isso, nos bastidores, as conversas entre funcionários em Frankfurt e nos bancos centrais da zona do euro também vão se acelerar à medida que eles finalizam as previsões cruciais para a presidente Christine Lagarde revelar na semana seguinte, junto com o aperto planejado até setembro.

Tudo isso será fundamental para as autoridades discutirem o quão rápido e até que ponto as taxas aumentarão. O governador do banco central holandês Klaas Knot, que não descarta um aumento agressivo de meio ponto percentual como o do Federal Reserve, aponta a inflação e os indicadores subjacentes associados como dados-chave a serem observados.

PUBLICIDAD

“Esses novos números são extremamente importantes para determinar a velocidade com que os aumentos das taxas precisarão acontecer”, disse Giorgio di Giorgio, professor da universidade Luiss, em Roma, em entrevista à Bloomberg News. “Há um verdadeiro emaranhado de fatores que se juntaram para complicar o quadro, desde a pandemia até gargalos de fornecimento, depois a guerra na Ucrânia, agora a política Covid Zero da China e suas consequências.”

As estatísticas de inflação começaram a sair nesta segunda-feira (30), com Espanha e Alemanha. Na terça-feira, serão divulgados os números da França e Itália, bem como para a Áustria, Portugal, Eslovênia e a zona do euro como um todo.

A chamada medida de núcleo de inflação da região, eliminando elementos voláteis como alimentos e energia, também deve atingir um novo recorde, de 3,6%. Enquanto isso, o aumento mensal de 0,6% nos preços ao consumidor previsto pelos economistas corresponderia ao de abril.

PUBLICIDAD

Mesmo quando os choques de oferta desaparecem, é improvável que a dinâmica desinflacionária da última década retorne”, disse Lagarde na semana passada, apresentando o que autoridades do BCE descrevem como um roteiro para a política monetária. “Como resultado, é apropriado que a política retorne a configurações mais normais.”

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDAD

Leia também

É hora de comprar ações de siderurgia, diz BBI; confira as preferidas

Bitcoin: pior já passou? Para especialistas, moeda ainda pode cair mais

Últimas BrasilChristine LagardeBCE
PUBLICIDAD