Negócios

Suzano vê risco de falta de celulose que pode encarecer lenços e papel higiênico

Empresa aponta que guerra na Ucrânia está piorando o bloqueio na cadeia de produção de celulose

À medida que a invasão da Ucrânia continua, mais interrupções no fornecimento são esperadas no Mar Negro.
Por Tatiana Freitas
06 de Maio, 2022 | 04:47 pm

Bloomberg — Os estoques de celulose estão caindo tanto ao redor do mundo que a Suzano (SUZB3), maior produtora global, vê um risco de escassez de oferta, o que pode deixar mais caros itens essenciais, como lenços de papel e papel higiênico.

PUBLICIDAD

A Rússia é uma importante fonte de madeira para a Europa, e o envio da matéria-prima está completamente bloqueado desde a invasão da Ucrânia, segundo o presidente da Suzano, Walter Schalka. A madeira russa também perdeu certificações globais. Isso significa que os produtores de celulose na Europa, especialmente na Escandinávia, terão sua capacidade de produção reduzida.

“Os estoques de celulose vêm diminuindo gradualmente até que possam atingir um ponto de ruptura mesmo, de falta de celulose”, disse Schalka em entrevista. “Isso pode acontecer.”

PUBLICIDAD

No primeiro trimestre, a disponibilidade de celulose também foi afetada pelos problemas no transporte marítimo, ruptura na logística interna com greve de trabalhadores em diferentes partes do mundo e atrasos na entrada de novas fábricas.

Esses fatores, aliados à demanda firme, levaram a uma alta de cerca de 40% nos preços da celulose na China neste ano, segundo dados de relatório do BTG Pactual de 3 de maio. O aperto no mercado de celulose é mais um problema para os consumidores, que enfrentam o aumento generalizado dos preços, de alimentos a combustíveis.

PUBLICIDAD

Os produtores de celulose russos têm dificuldades para continuar operando em meio à falta de algumas matérias-primas, e um dos principais deles foi forçado a interromper as atividades temporariamente. À medida que a invasão da Ucrânia continua, mais interrupções no fornecimento são esperadas no Mar Negro.

Com isso, a demanda por celulose da América Latina cresce, mas os produtores da região não têm espaço para receber novos pedidos, pois já trabalham a plena capacidade. Para a Suzano, a demanda tem sido maior do que a empresa consegue atender, disse Schalka.

Como o papel, especialmente o tissue, é um item essencial, não se espera impactos significativos da inflação sobre a demanda. Mas os efeitos da guerra na Ucrânia e da política de Covid zero na China ainda são incertos, afirmou Schalka.

PUBLICIDAD

“Isso ainda não afetou a demanda, mas não significa que não afetará”, disse.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDAD

Leia também

Inflação implícita se aproxima de 7% no Brasil com novo avanço do petróleo

Últimas BrasilSuzano
PUBLICIDAD