Tech

Um milhão de bolsas, carteira digital e ESG: o plano do Google na América Latina

Big tech anunciou investimento de US$ 1,2 bi na região nos próximos cinco anos, que inclui um cabo submarino e a contratação de engenheiros

Sundar Pichai
09 de Junho, 2022 | 09:07 am

São Francisco — O Google (GOOGL) se comprometeu a investir US$ 1,2 bilhão (cerca de R$ 6 bilhões) na América Latina ao longo dos próximos cinco anos para apoiar o desenvolvimento econômico e a transformação digital da região, onde a empresa tem presença ativa desde 2005.

PUBLICIDAD

O investimento foi anunciado pelo CEO do Google e Alphabet, Sundar Pichai, durante a IX Cúpula das Américas, realizada nesta semana em Los Angeles, na Califórnia. Desse montante, US$ 300 milhões - divididos em US$ 50 milhões em aporte monetário e US$ 250 milhões em créditos de publicidade - irão para o braço filantrópico do Google, o Google.org, que financia ONGs de sustentabilidade e oportunidades econômicas para mulheres, ampliando iniciativas ESG do grupo na região.

Parte das doações será destinada à Pro Mujer, que vai ajudar empresas lideradas por mulheres na Guatemala, em El Salvador e Honduras a ter acesso a capacitação e microcrédito. O Google disse ainda que as doações também vão apoiar “organizações que atuam na proteção da biodiversidade na Amazônia”.

PUBLICIDAD

De acordo com a big tech de Mountain View, o aporte tem está dividido em quatro pilares: infraestrutura digital; capacitação em habilidades digitais; empreendedorismo e comunidades inclusivas e sustentáveis. Para Pichai, a transformação digital pode ajudar a América Latina a se recuperar da pancada econômica causada pela pandemia de Covid-19. O CEO acredita em uma recuperação “inclusiva” por meio da redução da desigualdade digital.

Essas são as iniciativas do Google para a América Latina:

PUBLICIDAD

Cabo submarino

O Google se comprometeu a lançar um cabo submarino no ano que vem. Chamado de Firmina em homenagem à abolicionista brasileira Maria Firmina dos Reis, o cabo vai ligar a América do Norte à América do Sul por meio do oceano Atlântico e pretende garantir internet de maior qualidade para que o Google consiga oferecer seus serviços na região. A big tech disse que o cabo, que ficará pronto em 2023, será o maior do mundo e vai percorrer dos Estados Unidos à Argentina, com paradas adicionais no Brasil e Uruguai.

Contração de engenheiros

Enquanto muitas empresas estão demitindo, o Google pretende aumentar sua equipe de engenheiros no Brasil com foco em privacidade e segurança. A empresa tem, desde 2005, um Centro de Engenharia para a América Latina em Belo Horizonte.

A big tech também se comprometeu a ofertar 1 milhão de bolsas para os Certificados de Carreira do Google entre 2023 e 2026. Os certificados são provenientes de cursos criados nos últimos anos pelo Google para oferecer competências profissionais sem necessidade de diploma universitário ou experiência prévia.

PUBLICIDAD

Lançamento de carteira digital no Brasil e Chile

Concorrente do Apple Pay, o Google vai lançar uma carteira digital no Chile e no Brasil nos próximos meses, o Google Wallet.

Pichai também pretende expandir o recurso de pagamentos para smartphones com sistema operacional Android para outros países da região, em um segundo momento.

PUBLICIDAD

Google for Startups

O Google também se comprometeu a apoiar empreendedores e a inovação por meio de seus programas de aceleração e mentoria. A empresa disse que 450 startup já passaram pelos seus programas na América Latina.

Leia também:

Exclusivo: CEO da Uber revela por que o Uber Eats deixou o Brasil

GoogleÚltimas BrasilBloomberg LíneaTecnologia
Isabela  Fleischmann

Isabela Fleischmann BR

Jornalista brasileira especializada na cobertura de tecnologia, inovação e startups

PUBLICIDAD